Pular para o conteúdo

Gazetinhas 05/08/2015

* Eita, que agosto começou quente!

* Em todos os sentidos, vale registrar.



* Além do calor de lascar, típico do período, a primeira semana do mês chegou carregada de fatos marcantes.

* Na política e/ou polícia nacional, a volta à prisão do ex-ministro petista José Dirceu;

* O que, embora não tenha sido nenhuma grande surpresa, deixou o País novamente de sobreaviso para os imponderáveis desdobramentos da Operação Lava Jato.

* No noticiário local, o acirramento da greve dos professores, que ocuparam os salões da Aleac, ontem, para expor, mais uma vez, a pauta de reivindicações da categoria.

* A boa notícia (se é que se pode falar assim, diante dos 53 dias de greve) foi a conduta sensata do presidente da Casa, Ney Amorim, que amenizou o que prometia ser tenso e tumultuado na sessão.

* Democrático, ele abriu o plenário para que os líderes do comando de greve discursassem aos parlamentares…

* E garantiu o apoio da Assembleia para intermediar o diálogo com o governo.

* Muito bem, deputado.

* Da presidente do Sinteac, Rosana Nascimento, veio a resposta de que, apesar dos pontos cortados, os professores estão abertos às negociações.

* Ora, se o secretário de Educação, Marcos Brandão, também já assumiu, publicamente, esse compromisso, chegou a hora, então, de organizarem a mesa.

* Quem se habilita?

* Outra notícia bombástica do dia, a concessão do regime semiaberto ao ex-coronel Hildebrando Pascoal.

* Preocupante…

* Mas também nenhuma grande novidade, uma vez que a juíza Luana Campos já havia dado a entender que o preso cumpria todos os requisitos para obter o benefício.

* (Que responsa, hein, Excelência?!).

* Ainda assim, é um fato que deixa as autoridades e, principalmente, os antigos “desafetos” do ex-coronel em alerta.

* Apesar da visível fragilidade física, imposta por problemas de saúde, e da desarticulação da “liderança nefasta que o levou ao cárcere” (palavras da juíza)…

* A pergunta que se faz é:

* Até que ponto Hildebrando se regenerou ou se arrependeu dos crimes que cometeu?

* Terá desistido do desejo de vingança, anunciado em situações anteriores?

* Enfim…

* Se o que não tem remédio, remediado está…

* Que a lei seja cumprida.

* E que as autoridades competentes garantam, acima de tudo, os direitos e a segurança das pessoas de bem.

* Tá tudo dominado.

* Arrombamento em supermercado, assaltos planejados em série…

* Violência, insegurança, impotência.

* A polícia pode até estar de olho.

* O problema é que a bandidagem ainda caminha sempre um passo à frente.

error: Conteúdo protegido!!!