Pular para o conteúdo

Portal de Meteorologia aponta chances de tempestade atingir o Acre na quinta

O padrão de circulação do vento observado até o momento sobre a maior parte do Brasil tem inibido o deslocamento natural dos sistemas frontais e a chuva ficou limitada ao Sul do País.

Nos próximos dias, no entanto, a situação pode mudar, em todos os níveis da coluna troposférica, desde a superfície até o nível de 250 hPa (aproximadamente 11 mil metros), incluindo o nível de 500 hPa (cinco mil metros), onde o bloqueio está bem configurado.



As simulações computadorizadas indicam que um potente Jato de Baixos Níveis (JBN), ar quente que escoa da Amazônia em direção ao Sul do Brasil deve começar a atuar, ainda na quarta-feira, 26, cujas rajadas podem superar 80 km/h e com valores de até 100 km/h sobre o nível de 850 hPa (1.500 metros) entre a Bolívia, Paraguai e parte das Regiões Centro-Oeste e Sul.

Esse JBN tende a intensificar um sistema frontal que deve avançar rapidamente sobre a Argentina e Uruguai, cujo centro da baixa (ciclone) estará mais próximo da costa gaúcha, também intensificando ainda mais o sistema.

Em altitude, ou seja, sobre 250 hPa, ou 11 mil metros, um amplo cavado (área alongada de baixa pressão atmosférica) estará em curso, literalmente cruzando a América do Sul, e também contribuindo para a instabilização do tempo que avançará boa parte do Brasil, do Rio Grande do Sul ao Acre, principalmente entre quinta, 27, e sexta-feira, 28.

Com o sistema frontal organizado e o tempo instável em todas as camadas, o forte gradiente (diferença) de temperatura poderá resultar em tempo severo, tal como chuva forte, principalmente na Região Sul e em Mato Grosso do Sul, ampla atividade elétrica de raios, granizo e ventos fortes, mas de ordem mais localizada no Sul e nas demais regiões provavelmente afetadas.

Vale ressaltar que o deslocamento muito rápido, menos de 24 horas, do sistema já formado, pode desencadear na propagação absurda de focos de queimadas, principalmente na Região Centro-Oeste e no sul da Amazônia, uma vez que a chuva prevista não deverá cair em todas as regiões, ou seja, de ordem generalizada e o vento forte deste amplo sistema pode alavancar qualquer foco de queimada em um incêndio de grandes proporções.

O deslocamento deste amplo sistema poderá afetar, portanto, toda a Região Sul, grande parte da Região Centro-Oeste, conforme indicam as simulações numéricas e certamente no decorrer da semana, as autoridades, com exceção do norte de Goiás e nordeste de Mato Grosso, sul da Região Norte, especialmente entre o Acre, sul do Amazonas e em Rondônia e parte da Região Sudeste, principalmente em São Paulo. (Do Portal De Olho no Tempo Meteorologia)

error: Conteúdo protegido!!!