Pular para o conteúdo

Após ser condenada pelo TJ, Telexfree deve entrar com recurso

 A Justiça do Acre condenou a empresa Ympactus Comercial S/A, popularmente conhecida como Telexfree, a ressarcir os investidores e pagar multa no valor de R$ 3 milhões. A sentença foi assinada pela juíza titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco, na quarta-feira, 16, e será publicada no Diário da Justiça ainda esta semana. Segundo o promotor do Ministério Público do Acre (MP/Ac), Marco Aurélio, ainda cabe recurso e, por lei, a empresa tem 15 dias para recorrer da decisão. Ele acredita que a empresa entrará com recurso.

O promotor destaca que para recuperar o dinheiro aplicado, os investidores que ainda não entraram com o processo individual através do Tribunal de Justiça (TJ/AC), devem procurar o órgão para dar entrada nos trâmites legais. Os divulgadores deverão apresentar uma liquidação de sentença, para demonstrar o tem a receber. “O dinheiro não será ressarcido imediatamente, até porque ainda cabe recurso, mas é importante dar entrada na ação”, explicou Marco Aurélio.



De acordo com a decisão, no entendimento da Justiça, a rede Telexfree configura pirâmide financeira e não uma rede de marketing multinível, como era defendido pelos responsáveis. Além disso, todos os contratos firmados entre empresa e os investidores foram declarados nulos.

Os réus, proprietários da empresa, Carlos Nataniel Wanzeller, Carlos Roberto Costa e James Mattew Merrill foram condenados à obrigação de não fazer, para que não realizem novos contratos no mesmo modelo, sob pena de pagarem multa de R$ 100 por cada novo contrato assinado.

Expectativa do investidor

O designer gráfico, Enilson Amorim, de 39 anos, investiu R$ 2.800, o equivalente a 1 family, e ainda restam cerca de R$ 800 para alcançar o equivalente ao valor investido. Além disso, ele realizou cerca de quatro cadastros, sendo que essas pessoas também não atingiram o valor investido.

Apesar de ser um processo demorado, Amorim se mostra animado com a expectativa de receber o restante do dinheiro aplicado. “Eu acredito que quando for definido, ninguém vai deixar esse Carlos Costa sair fora. Aquilo que é da gente. Temos que receber”, disse.

Amorim aguarda a decisão final da Justiça para poder entrar com a ação individual, requerendo o dinheiro que ainda tem para receber.

 

error: Conteúdo protegido!!!