Pular para o conteúdo

Projeto Mundo Senai leva unidades móveis até a comunidade

 O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) leva até a comunidade unidades móveis, com palestras, oficinas e visitas guiadas para apresentar opções de cursos, e outras iniciativas de qualificação para o trabalho na indústria. O evento é parte da programação do projeto Mundo Senai e começou ontem, quinta-feira, 10, com término nesta sexta-feira, 11, na Central de Abastecimento de Rio Branco (Ceasa).

Essas unidades são escolas móveis. Quatro áreas do setor industrial foram levadas até a Ceasa, são elas: construção civil, automotiva, madeiras e móveis, panificação e confeitaria. Segundo a gerente de Educação do Senai, Geane Farias, aproximadamente mil alunos devem passar pelo evento durante os dois dias. Ela afirma que o objetivo do projeto é mostrar para a sociedade o trabalho que a instituição realiza.



Farias acrescenta que o Senai atua em outras áreas, como tecnologia da informação, segurança do trabalho, na área de gestão e também vestuário, além de cursos nas áreas de eletricidade, eletroeletrônica, automotiva. “Temos uma oferta bem diversificada em relação à indústria”, disse.

Durante o primeiro dia de evento, a unidade móvel mais visitada foi a de automóveis, por apresentar várias atrações como, por exemplo, um carro que é desmontado pelos alunos. “Essa é uma área bastante requisitada pelos jovens. A área de alimentos também, até porque oferecemos degustação. Além disso, a unidade de madeira e móveis está belíssima”, contou a gerente.

Para o vice-presidente da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), João Paulo Pereira, o instituto profissionalizante é um dos melhores do mundo. Para ele, a iniciativa do projeto é uma oportunidade que a comunidade tem de conhecer o trabalho do Senai e os cursos que a instituição oferece.

“O Senai prepara os alunos para o mercado de trabalho através de pessoas altamente qualificadas, a nível de Brasil. Não basta você dar um diploma para o aluno. Você tem que prepará-lo para exercer a profissão”, esclareceu o vice-presidente.

João Paulo conta que nos municípios de Feijó e Tarauacá, há aproximadamente dois anos, não existia técnico em manutenção de ar-condicionado. Somente após levar as unidades móveis até as cidades, algumas pessoas foram qualificadas para exercer este tipo de trabalho. “Acabou o problema. Agora tem profissionais no próprio município”, completou.

Por fim, João Paulo destaca mais um curso oferecido pela instituição: manutenção de motores para canoa. “O Senai leva até as comunidades do interior e ensinam o pessoal a trabalhar, deixando todos qualificados”, concluiu o vice-presidente.

Formação para a indústria

Uma pesquisa realizada com ex-alunos da instituição revela que, em média, 70% deles conseguem emprego no ano seguinte ao fim de sua formação. O diretor-geral dos Senai, Rafael Lucchesi, ressalta que a educação profissional oferece uma série de oportunidades para jovens que ainda não ingressaram no mercado de trabalho, além de auxiliar os trabalhadores que já estão empregados.

“O Mundo Senai é um excelente chance para conhecer todo o leque de oportunidades, inclusive opções gratuitas”, destacou. Com relação à pesquisa realizada, Lucchesi avalia positivamente resultado: “Isso demostra que estamos alinhados com o que o mercado de trabalho demanda dos profissionais”, concluiu.

Vice-presidente da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), João Paulo Pereira
Vice-presidente da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), João Paulo Pereira

Cursos profissionalizantes - OL (1) Cursos profissionalizantes - OL (2) Cursos profissionalizantes - OL (4)

Foto: Odair Leal/ A GAZETA
Foto: Odair Leal/ A GAZETA
error: Conteúdo protegido!!!