Pular para o conteúdo

GAZETINHAS 16/10/2015

* Da redação de A GAZETA para o plenário da Assembleia Legislativa estadual.

* Te mete!



* E assim começou o dia ontem, na cerimônia de Moção de Aplausos, oferecida por nossos nobres deputados, aos funcionários e diretores deste matutino.

* Um reconhecimento importante pelos 30 anos do jornal, completados neste mês de outubro.

* E a homenagem não poderia ter ocorrido em data mais representativa.

* 15 de outubro de 1985 foi o dia em que a primeira edição do jornal A GAZETA saiu às bancas, na Capital do Estado.

* Há exatos 30 anos, direto do túnel do tempo.

* Titular da coluninha, Silvio Martinello, tá ficando velho, hein…

* Ops!

* Cada vez mais experiente e charmoso, com seus belos cachinhos grisalhos.

* Ririri.

* Na coluneta acima, vale conferir o editorial assinado por ele sobre os “Bons motivos” para comemorar este trigésimo aniversário.

* De nossos funcionários, a gratidão aos deputados que aprovaram a moção, ao deputado Ney Amorim, autor do requerimento, e ao bom amigo e assessor de Comunicação da Aleac, Rutemberg Crispim, pelo empenho em concretizar a homenagem neste dia especial.

* A você, leitor, o nosso eterno agradecimento por ser o principal responsável pelo sucesso desta história.

* Vida longa à GAZETA!

* Vamos em frente.

* E o dia de ontem também foi de contestações na Casa legislativa estadual, após a ausência do diretor-presidente da Eletrobras-Acre, na audiência pública realizada na tarde da última quarta-feira.

* A reunião para debater a qualidade dos serviços da concessionária de energia já havia sido adiada, na semana passada, por conta da agenda do diretor da empresa.

* E eis que, na nova data marcada, ele também não compareceu.

* Da deputada Juliana Rodrigues, que propôs o evento, veio a crítica mais dura:

* “Tento entender o porquê deste descaso. Esta era a hora de explicar para a sociedade o motivo dos últimos apagões”, argumentou ela.

* A ausência explica por si só, deputada.

* Uma vergonha.

* Enquanto isso, na política nacional, eis que o nome de um acreano figura na lista das poucas almas ainda sãs que circulam pelo Congresso Nacional.

* O deputado federal Raimundo Angelim foi o único parlamentar do Estado a assinar a representação apresentada ao Conselho de Ética da Câmara, pedindo a cassação do presidente da Casa, Eduardo Cunha.

* Dos 513 deputados, somente 45 assinaram o documento.

* E lá estava o ex-prefeito de Rio Branco.

* “Assinei por entender que trata-se de uma questão ética. E da ética eu não abro mão”, justificou ele.

* Ah, se a decência fosse contagiosa…

error: Conteúdo protegido!!!