Pular para o conteúdo

Polícia Civil instaura inquérito para identificar e punir autores de vídeo de detentos que ameaçam agentes penitenciários

 Antes mesmo de o vídeo ganhar repercussão por meio das redes sociais, a inteligência da Secretaria de Segurança Pública já sabia da existência das imagens que contém ameaças contra os agentes penitenciários do presídio de Senador Guiomard. Um inquérito, que corre em segredo de justiça, foi aberto para identificar e punir os autores.

O presidente do Sindicato Penitenciários do Acre (Sindap-AC), Adriano Marques, destacou que o vídeo mostra como o sistema prisional é caótico e está falido. “Orientamos a todos os servidores da unidade e da capital a redobrarem a atenção. Existe uma lista com 10 nomes para possíveis execuções”, alertou Adriano.



Segundo o diretor do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen), Martin Hessel, alguns dos agentes citados no vídeo não estão mais trabalhando na unidade e outros não estão mais nos pavilhões e sim em outras funções. Além disso, o diretor afirma que há dois meses não se tem denúncias de agressão contra presos.

“Todas essas denúncias sempre são apuradas, então são coisas que às vezes não têm muito fundamento. Claro que a própria profissão exige vários tipos de cuidados e resguardos”, ressaltou Hessel.

Adriano Marques destacou que o sindicato repudia qualquer possibilidade de maus tratos aos detentos por parte dos agentes. “Acreditamos que seja inverídica essa informação que consta no vídeo”.

O vídeo mostra dois homens encapuzados, um deles cita uma lista com nomes de agentes que trabalham na unidade, enquanto o outro exibe uma espingarda. “Vou mandar um alô pros (sic) agentes do complexo carcerário do Quinari, que tão (sic) oprimindo nossos irmão (sic) lá dentro. Vou dizer pra eles parar (sic), porque se continuar, os nossos manos (sic) que tão (sic) lá dentro são guerreiros e tem gente por eles aqui fora também”, dizem durante o vídeo.

Foto: Cedida
Foto: Cedida

 

error: Conteúdo protegido!!!