Cunha pede pressa para o processo de impeachment, mas Renan nega

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), disse nesta segunda-feira que não irá acelerar o rito do golpe parlamentar contra a presidente Dilma Rousseff.

“Vamos garantir o contraditório e o direito de defesa, respeitar o devido processo legal”, afirmou Renan. “Pretendemos fazer isso com absoluta isenção e imparcialidade. Não podemos acelerar o processo de modo que pareça atropelo. Nem podemos demorar, de modo que pareça procrastinação”.

Renan recebeu a visita do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que tentou pressioná-lo, ao dizer que “a demora no processo é muito prejudicial ao país”. “Hoje, o Brasil não tem governo, mas um meio governo. E isso não é bom para ninguém”, afirmou Cunha.

4 - images-cms-image-000492768 (1)

Assuntos desta notícia