Obras na BR-364 causam discórdia entre deputados da oposição na Assembleia Legislativa

As obras de recuperação na BR-364 dominaram o debate na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) na sessão de quarta-feira, 8. O embate ocorreu principalmente entre os deputados da oposição que não aceitaram a declaração do colega Luiz Gonzaga de que o superintendente do Dnit, Thiago Caetano, estaria apagando provas de supostos crimes relacionados às obras de pavimentação da rodovia.

O oposicionista Jairo Carvalho (PSD) pontuou que Gonzaga estaria equivocado ao criticar o trabalho do atual superintendente do Dnit. Ele lembrou ainda que a declaração poderia soar negativa para o senador Gladson Cameli (PP), pré-candidato ao governo do Estado em 2018.

“Discordo do pronunciamento do colega Luiz Gonzaga. Ele está procurando chifre em cabeça de cavalo. O Thiago está trabalhando com responsabilidade. Se existe um problema na oposição, deve ser resolvido entre nós, pois, tudo isso reflete no nome do nosso pré-candidato Gladson Cameli, que tem se preocupado com essa BR. Os agourentos estão dizendo que vai fechar, mas não vai fechar”, disse.

O deputado Nicolau Junior (PP) também criticou o pronunciamento do tucano. Ele destaca que as acusações feitas por Luiz Gonzaga não teriam embasamento técnico e estariam acontecendo com objetivos eleitoreiros.

O progressista disse que todo o procedimento técnico necessário foi realizado antes do início da obra. “Todos os procedimentos técnicos foram adotados pelo Dnit antes de iniciar as obras de recuperação da rodovia, com a realização dos laudos técnicos comprovando as verdadeiras condições da estrada. Somente depois é que se iniciou a recuperação. Portanto, a declaração do deputado Luiz Gonzaga é um tanto quanto irresponsável”, falou.

Gehlen Diniz (PP), por sua vez, reiterou a fala do colega de partido e disse que Gonzaga faz declarações sem embasamento técnico.

“Se o senhor acha que está acontecendo um crime tem que denunciar, mas precisa pelo menos um laudo para denunciar e não ficar na tribuna da Aleac fazendo acusações sem base técnica. Vossa Excelência deveria procurar os órgãos de controle para formalizar a denúncia, apresentando as provas necessárias para embasar as declarações que foram feitas nesta Casa. Acusar sem provas é agir com irresponsabilidade”.

O tucano

Após ouvir as críticas dos colegas de oposição, Luiz Gonzaga afirmou que não recua em sua declaração. Ele reafirmou que Thiago Caetano estaria agindo no sentido de esconder supostas irregularidades na BR-364.

“Não retiro uma vírgula do que disse sobre o superintendente do Dnit. Não tenho subido nessa tribuna para fazer denúncias que eu não tenha comprovação. Eu fui pessoalmente. Andei daqui ao município de Cruzeiro do Sul e o asfalto que tinha entre Manoel Urbano e Feijó, que estava em boa qualidade, não está mais. Ou será que o superintendente vai fazer uma mágica para colocar o asfalto de volta? Qual a finalidade de se retirar um asfalto de qualidade que está dando trafegabilidade?”, questiona o oposicionista.

Quanto à declaração de Caetano sobre processar Gonzaga por difamação, o tucano retrucou dizendo que o superintendente do Dnit é que deveria ser processado.

“Quem tem que ser processado é o diretor do Dnit que destruiu um patrimônio público. Esse sim tem que ser processado. Aqui nessa tribuna, eu tenho simplesmente feito aquilo que é meu dever de fazer, que é denunciar as irregularidades. Eu não subo aqui para agradar nenhum gestor, mas eu seria injusto e desleal com a sociedade acreana de ver algo errado e não denunciar. Eu tenho provas, eu fotografei, eu filmei tudo”, finalizou.

Assuntos desta notícia