Caso de estudante do Ifac morta durante assalto causa comoção

Um tiro disparado pelas costas da estudante Emanuela da Silva Souza, 33 anos, interrompeu as lutas travadas por ela que se encaminhava para o primeiro dia de aula no Instituto Federal do Acre. O disparo foi feito durante um assalto quando ela estava trafegando em uma moto pelo conjunto Procon perto do Horto Florestal e dois homens em uma outra moto chegaram e obrigaram a vítima parar.

A vítima teria entregado a moto sem reagir, mas, mesmo assim, um dos acusados atirou. Duas viaturas do Samu estiveram no local, mas ela não resistiu ao ferimento. O veículo foi encontrado logo após o crime próximo ao Teatrão.

A Polícia Civil do Acre já teve acesso às imagens das câmeras de segurança que ficam próximas ao local do crime, para tentar identificar os autores. A motocicleta da vítima passou por perícia na manhã desta terça-feira, 3, para tentar identificar as digitais dos suspeitos.

Enquanto isso, indignados pela falta de segurança, servidores do Instituto Federal do Acre (Ifac) e amigos da estudante fizeram um protesto.

A diretora substituta do campus Rio Branco do Ifac, Paula Daniela, cobrou respostas das autoridades competentes para que o caso de Emanuela não se torne mais um número nas estatísticas de crimes violentos no estado.

“A gente fica muito triste. A Emanuela era uma aluna cheia de vida, uma aluna exemplar. Estamos revoltados, não vamos nos calar e queremos respostas. Não aguentamos mais a vulnerabilidade da nossa cidade. Ela era uma vida com importância. Temos nessa instituição alunos, pessoas que querem futuro. A sociedade não aguenta mais. Esse é o meu clamor como gestora, servidora e cidadã”, destacou.

De acordo com familiares, Emanuela era formada em técnica de segurança do trabalho, gestão ambiental e tinha interrompido recentemente a faculdade de medicina, na Bolívia, para cuidar da mãe que tinha câncer. Porém, a mãe dela morreu da doença há um mês.

Além disso, a estudante vendia ovos de codorna para pagar o aluguel e ajudar nas demais despesas. Emanuela estava desempregada.

Emanuela da Silva Souza, 33 anos

 

Assuntos desta notícia