Coluna Roberta Lima – 08/09/2020

Cheguei

Uma avalanche de sentimentos que não tem como descrever. Foi assim a chegada da minha caçula Karenna Lima ( foto), que atualmente mora em Fortaleza (CE), e por conta da pandemia, não dava um Pit stop na terrinha há um bom tempo.

** A temporada será recheada de muito dengos, mimos e carinho, claro, dessa mãe coruja, e de todos os familiares.

Happy Day

A digital influencer Edmirk Herculano, mama business e dona da loja virtual Mamãe Coruja, apagou as velinhas na última quarta-feira, 02, e recebeu todo o carinho dos fãs, amigos e familiares. Da coluna, mil felicidades.

** Já o querido George Pinheiro ( foto) ganhou festa intimista dos familiares no último dia 30 de agosto em seu belo apartamento na cobertura do Pinheiro Palace Hotel, empresa de sua propriedade

** Presidente das Confederações das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil, é mega querido em todo o país, e principalmente aqui no Acre, sua terra.

** E finalizando os aniversariantes, a minha amada e fofa Isabela Lima ( foto) Borges completou seis aninhos no último sábado, 05, e ganhou bolo, docinhos e muito carinho dos familiares. Titia ama demais!

Beleza

Com mais de 60 anos de história e várias versões, o Miss Brasil pela primeira vez na sua história terá uma mulher transexual que disputará o concurso de beleza mais tradicional do país.

** Rayka Vieira, de 25 anos, é representante do Centro Goiano no Miss Brasil Mundo 2020, e forte candidata à levar o troféu de mulher mais linda do Brasil.

Dia da Amazônia

O último sábado, 05, foi comemorado mais um Dia da Amazônia. Uma força tarefa está em andamento no estado do Acre para combater os crimes ambientais.

** Governador Gladson Cameli vem tratando com prioridade os ilícitos ambientais nas Unidades de Conservação (UCs), com ênfase no desmatamento ilegal, invasões e queimadas.

Aliás

O Instituto de Meio Ambiente (Imac), Batalhão de Policiamento Ambiental da Polícia Militar (BPA/PMAC) e Corpo de Bombeiros (CBMAC), estão num verdadeiro mutirão, principalmente tentando coibir os focos de queimadas, um dos maiores problemas da população acreana. O ar está irrespirável!

Bodas

Uma surpresa em torno do casal Patrícia Dossa e Oscar Abrantes marcou a noite do último dia 05, sábado. Recém chegados de uma viagem de férias pelo Nordeste, não esperavam que os amigos e familiares organizassem uma reunião intimista em torno dos 10 de casados.

**O local escolhido foi a residência dos pais de Patrícia, que contou com buffet da Silvia Montenegro, o primor dos detalhes da decor assinado por Raimunda El Shawwa, com lounges espalhadas na grande sala, flores brancas, castiçais de cristal nas mesas, e uma lindíssima mesa de doces e bolos.

** O som do Marcos Nery embalou os presentes, numa noite de muita harmonia e glamour.

** Pelas lentes de Rafael Bonamim, alguns flashes do querido casal.

O casal Patrícia e Oscar

Com os filhos Murilo e Liz

Em Casa

As escolas são pequenas representações da sociedade, e o nossos mestres, professores, nossos mentores de ensinamentos. É uma das profissões mais importantes, tendo em vista que as demais, na sua maioria, dependem dela. E hoje homenageamos esses importantes e tão valorosos profissionais, que tiveram que se reinventar nessa pandemia para ensinar, por meios virtuais, exigindo assim uma nova abordagem na educação. Espia os depoimentos de alguns deles:

Clodomira Viga, Graduada em Administração e pós-graduada em Didática e Docência do Ensino Superior, professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre-IFAC – “No dia 16 de março de 2020 vi minha vida, sob todos os aspectos, mudar radicalmente. Estava na instituição que trabalho e foi decidido que iríamos entrar em quarentena pois os primeiros casos do covid-19 tinham sido confirmados em Rio Branco. Em cada rosto que olhava, naquele dia (alunos, professores, técnicos, gestores), via espanto, incertezas e angústias, e assim sai da instituição pegando somente alguns materiais, minha mesa de trabalho ficou, até hoje, exatamente como deixei há seis meses. Passei muito tempo tentando entender como, em pleno século 21, onde a ciência e a tecnologia evoluem a cada dia, um vírus poderia causar tantas mudanças, mortes, incertezas, pânico, desesperança. Depois comecei a equilibrar meus pensamentos e começar a me adaptar as novas formas de comportamentos, hábitos e principalmente as novas formas de trabalho, pois além de professora, sou coordenadora de curso e o trabalho prosseguiu. O desgaste foi muito grande no início, pois a instituição oferta a grande maioria dos cursos de forma presencial, poucos no formato EaD, a maioria dos professores não possui de forma expressiva, conhecimento suficiente para ministrar aulas de forma remota.Tudo foi uma grande surpresa e um grande espanto, as aulas foram suspensas, poucos cursos continuaram  de forma remota, e começamos uma longa preparação e planejamento para o novo momento.

Foram muitos tropeços, dúvidas, comecei a fazer cursos para aprender a conhecer as metodologias e ferramentas de aulas de forma remota, a instituição também oferece treinamentos, então já são alguns meses de aprendizagem e adequação. Adaptei um cantinho do meu quarto para trabalhar (a maioria dos professores possuem salas no local de trabalho e não em casa), mas para ter mais conforto e atender melhor os meus alunos e colegas de trabalho, estou, aos poucos, buscando melhores condições de trabalho remoto além da busca contínua por novos conhecimentos. De tudo tiramos coisas boas, novos aprendizados e evoluímos profissionalmente e principalmente como seres humanos e cidadãos. E nessa pandemia estou vivenciado com muita felicidade o aumento da empatia entre os colegas de trabalho, entre os alunos, as parcerias entre as instituições de ensino que estão cada vez mais fortes, uma troca muito grande de informações e conhecimentos, e isso nos deixa mais seguros, nos ajuda a manter o equilíbrio necessário para atravessar esse momento tão difícil para todos e para todos os países. Vou começar a ministrar aulas de forma remota agora em setembro e me sinto mais preparada, mais serena e motivada. Acredito que esse espaço de tempo, para iniciar as aulas na instituição, foi muito importante para todos os envolvidos: alunos, professores, técnicos, familiares, para todos que fazem parte do contexto da instituição que trabalho. Vivemos um momento único de aprendizado e devemos aproveitar para potencializar as coisas boas e superar as situações mais difíceis. Que consigamos passar por essa pandemia da melhor maneira possível e que possamos nos tornar melhores e dessa forma fazer do mundo um lugar melhor para todos. Um forte abraço.”

Antonio Carlos Gomes, engenheiro civil, advogado, professor da UNINORTE – “Quanto ao aspecto emocional, viver o isolamento social foi encarar um novo momento, pois nunca tinha passado tanto tempo ao lado da minha família. Tive que fazer uma nova ressignificação desse conceito, e como essa convivência tornou-se obrigatória aproveitei para restabelecer relações de convívio mais intensa, como por exemplo, lidar com problemas que já existiam e que nunca tinham sido prioridade para mim, bem como, entender os sentimentos e reações de cada um da casa, priorizando sempre a harmonia. Está sendo um momento de mudanças, aceitação, alegria e felicidades, mesmo que no início tenha sido muito difícil.

No campo profissional da área educacional, a obrigatoriedade do isolamento social, me ensinou muitas coisas. Como a UNINORTE foi obrigada a se adaptar à nova realidade, disponibilizando uma plataforma de ensino virtual, tive que passar a trabalhar remotamente, o que propiciou que conhecesse novas ferramentas e novas rotinas de inovação tecnológica que eu nem sabia que existiam, fazendo com que o nível das aulas ficasse bem mais lúdico. Tenho refletido muito sobre tudo isso, e quando tudo isso passar, não serei mais a mesma pessoa e, com certeza, serei um ser humano melhor, um professor mais humanista, mesmo lidando com as ciências exatas.

Como já tínhamos um mundo em constante transformação, tive que viver intensamente essa realidade mais de perto, pois nos próprios departamentos da minha vida fui obrigado a me readequar, a me readaptar a novos hábitos, novas rotinas. Aos poucos estou me transformando e como a repetição leva ao hábito, criei novos hábitos muito mais saudáveis, cônscio de que não poderia ficar apático diante de tanta modificação que está acontecendo no planeta.”

Vânia Ribeiro, Medica Veterinária, docente da Universidade Federal do Acre- UFAC – “Sou médica veterinária e trabalho com ensino ha 36 anos, sendo 26 anos na Universidade Federal do Acre, onde além de docente, intensifiquei nos últimos 10 anos, muitos trabalhos científicos como pesquisadora, associando todas estas atividades à difusão de tecnologias através da extensão. Uma das coisas que mais valorizo em nosso trabalho, é o contato com uma grande quantidade de pessoas de diversas  idades e pensamentos. Cada pessoa deixa um pouco de si , quando passa em nossas salas de aula,  enriquecendo  e colorindo a vida acadêmica.  Com a chegada da pandemia e por ser do grupo de risco, afastei-me  deste convívio presencial. No começo, foi muito difícil. Muito do que amo fazer não era mais possível de ser executado, na forma tradicional do fazer didático-científico. Passei a lamentar mais profundamente, a ausência de alunos, colegas de profissão, amigos amados e familiares no dia a dia; Mais grave ainda: chorar e lamentar vidas ceifadas pelo vírus,  de muitas pessoas queridas. Quantos de nós não convivemos com o medo de ser a próxima vítima ou ter que enfrentar a perda de alguém de seu círculo familiar?

Entretanto,  como dizia nosso bom Chico Xavier, tudo passa. E assim, a gente vai aceitando  e aprendendo a viver nesta nova  fase, inclusive se reinventando. Atualmente voltei a dar aulas, faço palestras, oriento alunos, participo de reuniões e atividades administrativas, acompanho meus orientados de doutorado e iniciação científica, faço treinamentos e capacitação tudo de forma remota. Hoje passou a fazer parte do meu vocabulário e trabalho, programas e aplicativos como classroom, moodle, zoom , google meet e outros que tinha muita dificuldade em aceitar. Sinto falta é certo, do olho no olho, do afago, das boas risadas no ambiente de trabalho e do constante desafio que é a convivência com jovens de pensamentos às vezes tão diversos. Mas,  agradeço a Deus todos os dias por nesse momento ter um teto, comida na mesa, conforto, um trabalho que me proporciona alegrias e principalmente saúde e amores.”

Cydia Furtado, Professora doutora em biodiversidade e bioconservacao da Universidade Federal do Acre – UFAC – “ A princípio eu assistia aos noticiários sobre a pandemia do Covid-19 e me solidarizava com a China, depois Europa e logo em seguida acompanhava os números no Brasil. De repente os números viraram nomes, o que me fez intensificar orações pela família, amigos e por quem eu sequer conhecia. O #FiqueEmCasa me mostrou o que realmente importa e o que eu e meus pares precisamos para estarmos bem: o cuidado conosco por meio da consciência. Com a suspensão das aulas presenciais na Ufac, meu trabalho se intensificou com a assistência estudantil aos alunos em vulnerabilidade socioeconômica e junto à administração superior. A Universidade não parou: aprendi termos novos, palavras sobre conectividade, plataformas digitais, passei a conviver diariamente com termos como: “seu microfone está desligado”, “desliga a câmera que diminui a interferência” e encarar o desafio de fazer gestão à distância me reinventou. Essas foram algumas das atitudes e comportamentos novos que a crise me exigiu profissionalmente. Ficar em casa também me trouxe muitas saudades de beijar, de abraçar os meus, muitas saudades de participar como assembleia nas missas e nos meus compromissos com Deus. Como catequista passei a usar vídeocoferencias como recurso e me habituar com o novo também dentro da Igreja. Enfim, continuei com minhas atividades de forma diferente, mas continuei e isso garantiu minha saúde mental e bem estar para poder ajudar a quem precisa. Rezo para que essa pandemia seja controlada, que os dirigentes façam políticas públicas que nos ajudem a seguir com dignidade! Sigo com fé!”

DICAS

** E uma abençoada chuva foi revigorante para aplacar o calor escaldante e a fumaça que pairava sobre a cidade

** O Boticário vai à Sicília, na Itália, para encontrar o ingrediente principal de Malbec Flame: as Uvas Nerello.

** A nova linha vem com um perfume intenso e marcante, e conta com quatro itens: Desodorante Colônia, Body Spray, Refil Dosodorante Body Spray e Loção Desodorante Hidratante Corporal.

** Todos os itens são veganos.

** Vigilância Sanitária fez bem em fechar dois estabelecimentos que, ostensivamente, e sem cuidados com distanciamento e uso dos EPIS, promoviam aglomeração em massa.

** Há semanas, um vídeo circulava na cidade mostrando a falta de cuidados dos proprietários das empresas, o que gerou revolta pela grande parte dos cidadãos.

** Uma coisa é certa: medidas enérgicas para coibir essas situações têm que ser feita!

**Uma semana abençoada e até a semana que vem.

 

Assuntos desta notícia