Em gravação de áudio, Calegário é acusado de tentar “comprar” vereadora do Jordão

Um áudio divulgado pela candidata a vereadora no município de Jordão, Maria Suemir do Nascimento Cordeiro, virou acusação contra o deputado estadual Fagner Calegário. A postulante ao cargo de vereadora acusa o parlamentar de tentar corrompê-la, com propostas que a mesma diz serem indecentes e ofensivas.

Em mais de 12 minutos de áudio gravado da conversa, o parlamentar se apresenta a Suemir e afirma que ouve todo mundo no município falar bem dela. Afirma que está no município para fazer a sua base no Jordão e que o PT não vai priorizar a candidatura de Suemir. “Por isso quero te fazer o convite para fazer parte do meu time e por isso eu precisava saber da sua disposição em vir fazer do nosso grupo aqui no Jordão”, diz.

Calegário pergunta qual é a profissão de Suemir, que afirma que é manicure. Em seguida, pergunta como está o recurso do PT para a eleição. Ao ouvir da candidata que não sabe se saiu algum recurso, Calegário afirma: “Eu falei com o Cesário lá em Rio Branco. A gente briga aqui, mas na vida somos amigos. Não vem recurso para vocês. A prioridade é a Fernanda, em Brasiléia, e o Zen, em Rio Branco. A gente tem duas opções aqui. Ou fazer uma campanha de pedir voto, pé no chão, o que a gente sabe que é muito difícil ou tu vem pro meu time e eu vou te ajudar a partir de agora”, diz o deputado.

Suemir diz que vai ser muito sincera na resposta. “Eu quero ser bem sincera, mas eu não posso, é questão de honra. Eu sou uma pessoa bem simples, humilde e isso não seria bom. Eu não posso abandonar as pessoas que ajudaram tanto”, diz.

Ao ouvir a declaração, Calegário diz que acha legal, mas que isso não paga conta, apesar de aliviar o coração. “Tem um ditado que diz que o cavalo selado não passa todas as vezes na nossa frente. Nós vamos ganhar. E você pode fazer parte da estrutura de trabalho da prefeitura. Não é comprando dignidade, mas ninguém consegue fazer política se não tiver um mínimo de estrutura. Pode ser quatro anos de peia de cinturão ou quatro anos no paraíso”.

No final da conversa, ao ouvir mais uma vez a negativa de Suemir, Calegário dispara: “O que eu tenho ali na mochila pode te ajudar bastante”. A candidata mais uma vez dispensa a proposta. Calegário finaliza e diz a uma outra pessoa presente no local. “Vamos atrás do outro. Os outros meninos estão mais baratos”.

A própria Suemir publicou uma nota nas redes sociais onde condena a atitude de Calegário. (Leia abaixo).

O candidato de Calegário no Jordão é Marcel da Caixa (PCdoB). A chapa encabeçada pela petista Nágela Figueiredo, do mesmo partido de Suemir, também publicou uma nota onde diz ser uma afronta a democracia, a ética e a sociedade jordanense, ouvir um representante do poder legislativo, conduta que pode ser enquadrada na condição de crime eleitoral, quando insistentemente apresenta proposta indecorosa, aos candidatos da coligação.

O parlamentar disse que não ver nada demais na gravação e que a conversa teve como objetivo unicamente formar sua base política no Jordão, já que não teve nenhum voto na última eleição. “Eu fui lá realmente montar um time de vereador pra mim para tentar eleger um ou dois. A real intenção era essa, apenas”, disse. (AC24horas)

NOTA DE REPÚDIO DA COLIGAÇÃO “AGORA É A VEZ DO POVO”

Os integrantes da Coligação “Agora é a Vez do Povo”, representada pela candidata à prefeita, professora Nágela Figueiredo – PT e o candidato a vice Edivan Albuquerque – PSD, vem de público REPUDIAR, a atitude antiética, antidemocrática, covarde, leviana, desprovida de caráter e nociva à sociedade do Jordão, praticado pelo Deputado Estadual Fagner Calegário, em sua última estada no município.

Em áudio amplamente divulgado no município, o deputado Calegário, tenta corromper, comprar, desestimular, desarticular e tirar candidaturas de nossa coligação, para apoiar a candidatura do prefeito Marcel- PC do B, oferecendo vantagens, cargos e possivelmente dinheiro, conforme pode ser deduzido quando o mesmo cita “que o tem têm na mochila, pode resolver o teu problema”.

É uma afronta a democracia, a ética e a sociedade jordanense, ouvir um representante do poder legislativo, conduta que pode ser enquadrada na condição de crime eleitoral, quando insistentemente apresenta proposta indecorosa, aos candidatos da coligação.

Diante desses fatos SOLICITAMOS do ministério público eleitoral, que investigue tal conduta, expressa com fartas provas no áudio, passível de ser enquadrada em crime eleitoral que incide, de tamanha falta de caráter.

Na oportunidade, parabenizamos a postura, honradez, dignidade, honestidade e Lealdade da candidata Suemir Cordeiro e demais candidatos que foram afrontados e não se deixaram abater pela corrupção.

Jordão, 18 de Outubro de 2020
A Coordenação da Coligação Agora é a Vez do Povo.

Nota de Esclarecimento de Suemir

Venho esclarecer a todos de um episódio que ocorreu comigo esses dias. Fui procurada pelo amigo Cosmo, o qual marcou um encontro com Deputado Fagner Calegário.

Como todos podem perceber no áudio, tentaram me corromper, com propostas que na minha humilde opinião além de indecente é muito ofensiva.

Acham que por ser pobre, desempregada, apenas uma mãe de família que ganha a vida como manicure, que estou a venda. Mas, não me vendi, não me vendo e continuou firme e forte com a chapa que escolhi para minha candidatura, que é com a Professora Nagela 13 e Professor Edvan. Esses sim: conheço, admiro, tenho respeito e defendo, pois são honestos, trabalhadores e compromissados com o povo de Jordao.

Maria Suemir do Nascimento Cordeiro
Candidata a vereadora pelo PT

Assuntos desta notícia