Coluna Luiz Theodoro – 10/03/2021

O escolhido I

Um juiz federal que já anulou provas da Operação Lava Jato em um recente caso pode herdar os processos envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O titular da 12.ª Vara Federal do Distrito Federal, Marcus Vinícius Reis Bastos, é um dos quatro magistrados que podem ser sorteados para conduzir as ações que resultaram na condenação do petista, após o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin apontar incompetência da 13.ª Vara da Justiça Federal do Paraná.

O escolhido II

Bastos anulou, há exatos dois meses, as provas obtidas na Operação Carbonara Chimica, a 63.ª fase da Lava Jato, deflagrada para apurar suspeita de propinas aos ex-ministros da Fazenda Antônio Palocci (governo Lula) e Guido Mantega (governos Lula e Dilma), em troca da edição de medidas provisórias favoráveis à Odebrecht.

Por sorte, a sociedade civil, o STF e os deputados mais lúcidos conseguiram derrotar a blindagem que o Centrão queria impor para proteger os parlamentares encalacrados com a Justiça. O ministro Luíz Roberto Barroso, do STF, recomendou que o texto da PEC fosse “aperfeiçoado” para não tornar-se inconstitucional.

Apesar de a medida não ter pegado bem junto à opinião pública, Lira ainda não desistiu de aprovar dispositivos de impunidade para salvar a pele de deputados como Daniel Silveira, que agrediu ministros do STF e defendeu instrumentos fascistas, como o AI-5. Mandou criar uma comissão para debater o assunto. Ele insiste em proteger criminosos.

Em caixa

Em meio à grave pandemia, o País tem R$ 1,2 bilhão parado nos bancos por causa da incompetência do governo. O dinheiro foi recuperado pela Lava Jato e a juíza Gabriela Hardt mandou que os recursos fossem usados no combate à Covid. O governo, porém, diz que não cabe a ela determinar como o dinheiro será aplicado. O procurador-geral Augusto Aras pede que o ministro Lewandowski defina como usar os valores.

Prejuízo à companhia

O discurso de Bolsonaro de que as estatais precisam ter visão social não se sustenta. Ao decretar uma intervenção brutal na Petrobras, o ex-capitão abalou a confiança dos investidores estrangeiros na política econômica, que liquidou a pretensa face liberal sustentada por Guedes. Além da enorme queda no preço das ações da estatal, Bolsonaro foi responsável por uma articulada fuga de capitais da Bolsa de Valores de São Paulo: os investidores retiraram do Brasil pelo menos R$ 9,2 bilhões
da B3 após a crise credibilidade demonstrada pelo governo populista. Esse dinheiro, poderia estar dinamizando a economia
e gerando empregos.

Briga no quartel

Bolsonaro quer tirar Pazuello da Saúde para entregar o ministério ao Centrão, mas, para isso, precisa promovê-lo a general de quatro estrelas. O Alto Comando do Exército considera isso ilegal. Se o presidente Bolsonaro promover o amigo, o Exército declarará guerra a ele.

Rombo nas contas

Mesmo sem pagar auxílio emergencial em janeiro, a dívida pública do governo atingiu R$ 6,6 trilhões no primeiro mês do ano, o que representa 89,7% do PIB. Em dezembro de 2020, a dívida pública era de 89,2% do PIB.

Gasolina cara

A gasolina brasileira é uma das mais caras e uma das piores do mundo. Um litro está custando acima de R$ 5, enquanto que nos EUA custa R$ 2,51. Mas, por que a gasolina é tão cara, se ela deixa as refinarias valendo apenas R$ 2,48 por litro? Ora, porque aqui há o “Custo Brasil”, onde os tributos são absurdos. A metade do preço é composta por impostos, dos quais 28% são estaduais (ICMS) e 16,3% são federais (Cide, PIS/Cofins). Há ainda a margem de lucro dos postos de 12% e o preço do etanol que é misturado à gasolina na proporção de 27%. Ocorre que a maioria dos postos adiciona muito mais do que essa quantidade de álcool e a nossa gasolina torna-se uma porcaria.

A saída

Sem ter de onde tirar os R$ 30 bilhões para o auxílio emergencial, Guedes estuda antecipar o 13º salário dos aposentados e pensionistas do INSS e o abono salarial, estimados em R$ 57 bilhões. Tudo para movimentar a economia, que corre o risco da estagflação.

Briga de egos

Para provar que se não fosse o Instituto Butantan o Brasil não teria vacinado quase ninguém, João Doria fez as contas e mandou para Bolsonaro: até agosto, o governo de São Paulo entregará 100 milhões de doses.

Voto impresso

A deputada Margarete Coelho (PP-PI), relatora do grupo de trabalho da Câmara que estuda mudanças no Código Eleitoral, quer discutir as propostas que incluem o famigerado voto impresso, como quer Bolsonaro.

Duas caras

Bolsonaro habituou-se a distorcer a realidade de tal maneira que nem ele mais sabe quando mente ou fala a verdade. Era contra a vacina e agora diz que fará de tudo para comprar imunizantes. Defendia a cloroquina e atualmente afirma que jamais propôs o tratamento precoce. Foi contra o auxílio emergencial, mas depois insinuou ser o pai da ideia. Agora, para ficar bem com os caminhoneiros, propõe reduzir o preço dos combustíveis por meio da redução do ICMS. Ocorre que cabe aos Estados, e não à União, legislar sobre esse imposto. Ele deveria, sim, estimular uma reforma tributária que diminua a carga tributária brasileira, que é uma das mais altas do mundo (34% do PIB).

Inelegível

Mesmo que Lula derrote Sergio Moro no STF, o petista continuará inelegível. Afinal, ele ainda tem a condenação no caso do sítio de Atibaia, cuja sentença não foi dada pelo ex-ministro. Haddad já foi escalado para perder outra vez. Guilherme Boulos quer tomar seu lugar.

Huck candidato

Enquanto não decide ser candidato a presidente, uma coisa o apresentador Luciano Huck já resolveu: desistiu da aproximação que vinha tendo com o DEM. A alternativa voltou a ser o Cidadania, de Roberto Freire.


Super querido na sociedade acreana, o desembargador Ciro Facundo deixou saudades com o seu falecimento. Em vida, o magistrado deixou um grande legado que, com certeza, deixará muitas saudades. Na foto com os netos Iolanda Cristina, Italo Facundo, Ciro Facundo de Almeida neto e o bisneto Cauê Facundo.

Flashes do café da manhã oferecido pelo prefeito Tião Bocalom aos funcionários pelo Dia Internacional da Mulher na Prefeitura de Rio Branco.

Que saudade das senhoras de grupo dos anos dourados que dão todo o charme à sociedade acreana. Lindas!!!

Todos os parabéns ao médico Wilson Barbosa Neto, o grande aniversariante da segunda-feira.

Linda de viver, Dinah Araújo Rodrigues para celebra a vida!

Assuntos desta notícia