Pular para o conteúdo
Agnes Cavalcante
Agnes Cavalcante é jornalista e co-criadora da página @investidoracreana no Instagram, onde compartilha informações sobre investimentos

Setembro Amarelo: não deixe que suas finanças estraguem sua saúde mental

Chegamos a mais um mês de setembro e, com ele, a campanha anual Setembro Amarelo, que trata da prevenção ao suicídio. E o que isso tem a ver com finanças? Tudo.

Nossa vida é dividida em várias áreas e uma das mais importantes, sem dúvida, é a financeira, afinal, vivemos em um mundo capitalista. Não vou entrar no mérito da velha discussão se dinheiro traz ou não felicidade, porque se você está lendo esta coluna, tenho certeza que você é adulto o bastante para entender que esse paralelo sequer existe. Dinheiro é um instrumento e não um fim em si mesmo.

O fato é que, se dinheiro traz ou não felicidade, não é o caso, porque está mais do que claro que a falta dele pode sim acarretar em diversos problemas, especialmente psicológicos ou agravar problemas pré-existentes que, consequentemente, afetam nossos relacionamentos, nossa saúde física, nosso desempenho no trabalho, entre outros. O endividamento é apontado por especialistas como um dos fatores que contribuem para as tentativas de suicídio.

em Rio Branco/AC, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atendeu nos seis primeiros meses de 2021 mais da metade das ocorrências registradas em todo o ano anterior. Foram 64 chamados, o que representa o quanto este problema de saúde pública ainda precisa ser amplamente trabalhado.

É mais que urgente que nós cuidemos bem das nossas finanças e eu quero te dizer que, se você não tem uma vida financeira saudável, tenha calma e paciência, porque tudo na vida tem solução, ainda que não pareça em um primeiro momento. Não deixe que as dívidas tirem a sua saúde. Fiz aqui uma lista para te ajudar a sair das dívidas, confira só:

  1. O primeiro passo é reconhecer que precisa de ajuda. Muitas pessoas, mesmo sabendo que já estão atoladas em dívidas, continuam fazendo mais compromissos e entram em um ciclo sem fim;
  2. Anote suas dívidas em um papel – sim em um papel porque não basta saber, você precisa ver para entender, de fato, qual o tamanho da sua dívida;
  3. Faça uma análise de todos os seus gastos;
  4. Corte os gastos que não são essenciais;
  5. Estabeleceça um plano com prazos para quitar suas dívidas; Se a dívida for muito alta, poupe e invista um pouquinho a cada mês para quitar à vista no futuro e tente negociar para obter desconto;
  6. Se sua dívida for com cartão de crédito, pare de pagar o mínimo agora mesmo! Caso não tenha condições de pagar o valor total, avalie a possibilidade de deixar seu nome no Serasa mesmo, pois a empresa sempre oferece propostas de acordos para quitar as dívidas por um valor menor todos os meses. E lembre-se de bloquear o cartão e remover de todos os aplicativos que você costumava usar;
  7. Não se desespere. As pessoas não costumam falar por aí que estão devendo, mas pode ter certeza que muita gente que você conhece, também está endividada e/ou inadimplente, então mantenha a calma e continue acompanhando a nossa coluna e o perfil Investidora Acreana no Instagram para aprender a lidar melhor com seu dinheiro.
  8. Faça renda extra. Tenho certeza que tem algo quem que você é muito boa (bom), mas caso você não tenha clareza quanto a isso, pergunte para amigos e famíliares: “Você acha que tem algo que eu faço bem, e que eu poderia ter uma renda extra com isso?”, você vai se surpreender com as respostas.

Costumo dizer que cuidar das nossas finanças não é só algo que a gente faz por nós mesmos, mas é algo que fazemos pela nossa comunidade. Eu tenho certeza que você poderá propagar o bem ao seu redor e se você chegou até aqui, mas tem uma vida financeira saudável, compartilha a coluna com alguém que precisa ler sobre isso?

Um abraço e lembre-se: sua saúde financeira tem reflexo em toda a sua vída!

A coluna de hoje conta com o apoio do grafiteiro Matias Souza e da loja Guapísima. Clique nas fotos para conhecer:

banner, matias souza, patrocinio coluna agnes cavalcante

guapisima, coluna agnes, patrocinio

Leia também: Defensoria Pública do Acre oferece apoio jurídico para renegociação de dívidas