Pular para o conteúdo
Entrevista

SEE fará novo processo seletivo de professores para atender últimas demandas na volta às aulas, diz secretária Socorro Neri

Profissionais serão destinados às escolas de difícil acesso e algumas demandas pontuais de escolas urbanas. Socorro Neri explicou também como se dará o retorno gradual, em três etapas, e como funcionará o ensino híbrido

A Secretaria de Estado de Educação emitiu comunicado, esta semana, para o retorno às aulas presenciais nas escolas da rede pública de Ensino, suspensas, desde março de 2020, devido à pandemia de Covid-19. Em entrevista ao Jornal da Gazeta 93, nesta quinta-feira (2), a secretária de Estado de Educação, Socorro Neri, afirmou que todas as medidas orientadas pelas autoridades em saúde estão sendo adotadas para garantir a segurança sanitária aos profissionais e aos alunos.

Socorro Neri explicou também como se dará o retorno gradual, em três etapas, e como funcionará o ensino híbrido, que é o revezamento da presença dos alunos em sala de aula. Enquanto 50% dos alunos estarão presentes, 50% realizarão atividades em casa.

A contratação de professores também foi assunto da entrevista. Segundo a secretária, nos próximos dias, haverá um novo processo seletivo para atender às demandas de contratação de professores para as escolas de difícil acesso e para algumas demandas muito pontuais ainda de escolas urbanas. “São aquelas demandas de processos seletivos realizados, que não tinham profissionais aprovados nesses processos”, explicou ela.

Confira:

O que levou a secretaria redefinir o retorno às aulas para 4 de outubro e não setembro, como anteriormente anunciado?

A data que a secretaria trabalhava era uma data de previsão, em 8 de setembro. Entretanto, nós precisamos ter cautela nesse processo. No momento, ainda não foi concluído o processo de imunização dos profissionais da Educação, embora tenha avançado, mas ainda temos um contingente grande de servidores da rede estadual precisando realizar a segunda dose. Quero, inclusive, aproveitar e conclamar que todos façam a segunda dose, uma vez que já está autorizada pela área da Saúde a antecipação. Precisamos concluir a imunização e outras questões voltadas à área administrativa. Mas, o motivo central de definirmos a data para 4 de outubro é que é um prazo mais que suficiente para que todos os profissionais de Educação se imunizem e para que a imunização da população, em geral, até adolescentes de 12 anos de idade, possa ser concluída ou avançada, neste mês que temos pela frente.

Tecnicamente falando, como vai funcionar esse retorno gradual e híbrido?

O retorno das atividades presenciais nas escolas será de forma gradual. Inicialmente, nessa data de 4 de outubro retornarão os estudantes do 1º, 5º, 6º e 9º anos do Ensino Fundamental. São os estudantes que estão entrando nessa etapa da formação escolar e aqueles que estão saindo dessa etapa. Também os estudantes da 1ª e 3ª séries do Ensino Médio, Educação de Jovens e Adultos, os estudantes do último módulo de cada etapa da EJA 1, EJA 2, EJA 3. A educação do campo, as escolas seriadas, todos os anos do Ensino Fundamental e as séries do Ensino Médio. A Educação Indígena da mesma forma. A segunda fase do retorno vai acontecer no dia 3 de novembro, quando teremos retornando os estudantes das outras séries e, na sequência, faremos, em dezembro, uma rediscussão com o comitê estadual de acompanhamento à Covid, buscando identificar a data em que não haverá mais a necessidade de fazermos alternância, porque, nestas duas etapas, nós teremos a necessidade de fazer alternância de estudantes nas turmas com mais de 25 alunos.

Existem orientações gerais da Organização Mundial de Saúde para adaptar as escolas neste período de pandemia. Quais são? E os professores, coordenadores, zeladores e demais membros da equipe de servidores da escola também estão sendo preparados para este momento?

Pela regra da OMS, nós teremos que fazer distanciamento entre os alunos de um metro, de uma carteira para outra. As escolas estão se organizando para isso, estão devidamente orientadas, as equipes das escolas já passaram por formação. Agora, neste mês de setembro, a equipe da Secretaria de Educação vai estar permanentemente reunindo com as escolas, fazendo a orientações devidas, fazendo formação continuada em relação ao ensino híbrido, à medida em que um grupo de estudantes, dessas turmas de 25 alunos, ficará na escola de forma presencial, enquanto o outro grupo de 50% ficará realizando atividades em casa. Aqueles do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental farão esse revezamento diariamente. Um grupo fica em casa, na segunda, e o outro estará na sala de aula, e, no dia seguinte, reveza. Já em relação às turmas do 6º ano em diante, e também as de Ensino Médio, esse revezamento será semanal. As escolas estão orientadas a fazerem o agrupamento dos estudantes, a verificar essa distanciamento entre as carteiras, de modo a a garantir que o retorno aconteça com segurança.

O retorno das atividades presenciais pode ensejar alguma mudança no ano letivo 2021?

O calendário do ano letivo 2021 permanece do mesmo jeito, não há alteração. A única alteração que temos proporcionada pelo avanço da imunização é a possibilidade agora real, já com data oficializada do retorno das atividades presenciais.

E o quadro de docentes já está 100% definido?

Até este momento, já foram convocados, e grande parte já contratados e em atividades mais de 1.100 professores para atender as demandas da rede estadual de ensino. Nos próximos dias, nós teremos a contratação de professores para as escolas de difícil acesso e para algumas demandas muito pontuais ainda de escolas urbanas. São aquelas demandas de processos seletivos realizados, que não tinham profissionais aprovados nesses processos. Então, agora faremos um novo processo seletivo para atender essas demandas. Mas grande parte das necessidades já foram providas, e estamos agora tratando dessas demandas residuais.

Leia também: SEE divulga cronograma de retorno gradual às aulas presenciais, a partir de 4 de outubro