Pular para o conteúdo
Brasil-Bolívia

Segurança na fronteira é tema de encontro estratégico no Acre

Durante o I Encontro de Segurança Fronteiriça Brasil-Bolívia uma carta de intenções com 17 propostas para robustecer o combate a criminalidade na região de fronteira foi assinada

O Acre sediou entre os dias 20 e 21 de outubro o I Encontro de Segurança Fronteiriça Brasil-Bolívia. O evento teve como principal objetivo fortalecer as ações desenvolvidas pelas forças policiais dos dois países, bem como estreitar as relações interinstitucionais. Durante o encontro, houve ainda a assinatura de uma carta de intenções, que pontou uma série de itens referentes a adoção de estratégias no enfrentamento aos crimes transfronteiriços.

Brasil e Bolívia possuem a maior faixa de fronteira entre os países da América do Sul. Essa peculiaridade é responsável por grandes desafios a serem superados na área da Segurança Pública. Os 3.423 quilômetros que delimitam as duas nações são, em sua maioria, locais inóspitos, que acabam facilitando a prática de delitos, principalmente o tráfico de drogas, armas e pessoas, além da travessia de veículos roubados.

Presente à solenidade, o governador Gladson Cameli fez um retrospecto positivo dos inúmeros investimentos realizados em sua administração em prol da Segurança Pública acreana. Sobre o tema específico do encontro, o chefe de Estado recordou a criação do Grupamento Especial de Fronteira (Gefron). Em atuação desde 2019 , a força policial tem se destacado por sua atuação firme no combate aos crimes fronteiriços.

“Aqui no Acre, criamos o Gefron para reforçar as ações de segurança nos milhares de quilômetros de fronteira que temos com a Bolívia e o Peru. Mas essa iniciativa do nosso governo, como todos sabem, não é o suficiente para darmos conta dessa imensa tarefa. Precisamos do apoio constante da Polícia Federal, do nosso Exército e da União com as forças de segurança dos países vizinhos”, declarou.

Já o vice-ministro de Segurança Cidadã da Bolívia, Roberto Ríos Sanjinés, enalteceu a realização do encontro binacional. Segundo ele, os dois países precisam estar mais unidos e alinhados por meio de estratégias que resultem em duros golpes contra a criminalidade.

“Estes espaços de irmandade entre os países vizinhos nos permitem coordenar ações para lutar contra a delinquência. Os delitos transnacionais merecem ter atenção não só das instituições federais, mas de todas as instâncias que temos nos dois países. É muito importante que a burocracia não seja obstáculo e nos permitam avançar”, afirmou.

Carta de intenções é assinada entre os dois países

(Foto: Marcos Vicentti/Secom)

Autoridades dos estados brasileiros do Acre, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e dos departamentos bolivianos de Pando e Santa Cruz assinaram uma carta de intenções com 17 propostas para robustecer o combate a criminalidade na região de fronteira. O documento também foi referendado por representantes dos governos nacionais dos dois países.

Entre os pontos pactuados, destaque para o intercâmbio entre as polícias bolivianas e brasileiras; criação de enlaces, por meio de grupos em redes sociais, para discussão de interesses no nível estratégico; patrulhamento policial conjunto na região de fronteira; promoção de atividades de capacitação integrada permanentes destinadas ao combate dos crimes transfronteiriços; implementação de tecnologia integrada de consulta de veículos; e implementação de tecnologia de busca de pessoas, em especial de indivíduos com mandados de prisão.

“Saímos deste encontro com uma carta de intenções com 17 estratégias pontuais, que potencializarão o combate aos crimes transfronteiriços, que passam pelo Brasil e Bolívia. É um grande avanço e o primeiro momento que estamos observando, efetivamente, ações integradas dos Estados brasileiros, independentemente de competência ou atribuição constitucional, no sentido de estabelecer o combate e a prevenção adequada a estes crimes”, explicou o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Rocha dos Santos.

Segurança Pública do Acre recebe novas viaturas, equipamentos e insumos

Como parte da programação do encontro, o governador Gladson Cameli fez a entrega de 31 viaturas policiais, 13 quadriciclos, equipamentos de informática, insumos para o Departamento de Polícia Técnico-Científica, coletes de proteção balística e capacetes balísticos. Ao todo, o investimento por parte do Estado foi de R$ 9,7 milhões.

“A Polícia Civil está recebendo viaturas específicas para o Departamento de Polícia Técnico-Científica, o nosso serviço de perícia, que é fundamental para atender e solucionar os inquéritos e investigações em andamento. São três viaturas caracterizadas e outras descaracterizadas, que servirão às equipes de investigação. São investimentos fundamentais e quem ganha com isso é a sociedade”, disse o diretor-geral da Polícia Civil, delegado Josemar Portes.

Nos próximos dias, mais 67 viaturas serão entregues a Segurança Pública. O governo do Estado não vem medindo esforços para combater o crime e restabelecer a paz entre as famílias do Acre. Desde o início da gestão Gladson Cameli, as forças policiais têm sido completamente reestruturadas. Somente na contratação de profissionais, mais de mil agentes das polícias Militar e Civil foram contratados. Muito em breve, novos concursos públicos serão realizados para reforçar os quadros das instituições que integram o Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp).