Pular para o conteúdo
NA ALEAC

Deputado fala da dolarização dos produtos e atribui a Bolsonaro a alta nos preços: “só governa para os ricos”

No cerne do discurso, o atraso no pagamento das bolsas de estudantes, motivo pelo qual Zen argumentou que as políticas do governo Bolsonaro só prejudicam quem mais precisa do poder público

O corte de mais de R$ 600 milhões da Ciência e Tecnologia pelo governo federal levou o deputado estadual Daniel Zen (PT) a usar a tribuna da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) na sessão desta terça-feira, 26, para criticar, de um modo geral, as políticas adotadas pelo presidente Jair Bolsonaro, que tem, de acordo com ele, provocado a alta dos preços dos produtos no país e prejudicado quem mais precisa.

“Um governo que só governa para os ricos para quem já tem dinheiro. Tem gente que acha que o preço da botija de gás a R$ 130 ainda é culpa do Lula que já deixou o governo há mais de 10 anos e que a gasolina a R$ 9,10, o litro, em Marechal Taumaturgo é culpa do PT. É não. É culpa da dolarização do combustível e dessa politica que enche o bolso do acionista da Petrobrás e está mais rico e deixa o cidadão comum mais pobre que tá pagando R$ 7 reais de gasolina, R$ 24 no pacote de 5 kilos quilo de arroz e R$ 8,69 no litro de óleo. Esse é o país do Bolsonaro, um governo que não gosta do pobre, que não gosta do trabalhador, que não gosta da ciência e cujo governo só serve pra deixar o rico mais rico e o pobre mais pobre.”, frisou.

Daniel Zen também elencou as políticas sociais dos governos do PT que foram desmontadas pelo atual governo, reforçando sua tese de que os mais pobres estão mais prejudicados (Foto: Arquivo)

No cerne do discurso, o atraso no pagamento das bolsas de estudantes, motivo pelo qual Zen argumentou que as políticas do governo Bolsonaro só prejudicam quem mais precisa do poder público. “Corta da Ciência, da Tecnologia, das Universidade. Um corte que afetou as instituições de pesquisa, a Embrapa, a Capes e as bolsas dos estudantes de R$ 400. São 900 bolsistas do Ifac e Ufac com suas bolsas atrasadas. Pessoas carentes que precisam do recurso para, muitas vezes, pagar o aluguel do quartinho que moram, para custear o material para desenvolver seus estudos de forma mais adequada, que para concluir o nível superior, uma graduação, precisam de uma instituição forte funcionando e não sucateada como está acontecendo como  as universidades e institutos nesse governo do descaso.”, asseverou.

Ao abrir o pronunciamento, o deputado lembrou as posturas de Bolsonaro em relação à ciência. “Um presidente que não gosta mesmo da ciência, que faz uma live dizendo que quem tomou duas doses da vacina tem mais chance de contrair Aids e tem seu vídeo suspenso das plataformas digitais, porque obviamente trata-se de uma mentira. É esse mesmo presidente que cortou o orçamento de um das pastas mais estratégicas para o desenvolvimento do país, que é a Ciência e Tecnologia.”, disse.

Em seguida, Daniel Zen elencou as políticas sociais dos governos do PT que foram desmontadas pelo atual governo, reforçando sua tese de que os mais pobres estão mais prejudicados.

“Falaram do partido dos trabalhadores, do governo Lula, do governo Dilma, mas no atual governo  não tem Fies, não tem ProUni, não tem Mais Médicos, não tem Farmácia Popular, não tem Luz para Todos… Acabou com tudo e agora quer acabar até com o Bolsa Família transformando em Auxilio Brasil, o que causou uma quebradeira geral e por causa desse anuncio o dólar foi a R$ 5,73, enricando os bolsos de quem vive de renda do capital, de quem aplica na bolsa de valores e deixou o trabalhador mais pobre.”, pontuou.

Antes de concluir, o parlamentar comparou. “O pecuarista que vende um bezerro desmamado a R$ 3 mil está rindo de orelha a orelha, mas o trabalhador que está indo comprar carne de segunda a R$ 40 reais o kilo no açougue não tá achando bonito, mas infelizmente ainda tem quem não acordou e continua batendo palmas para Bolsonaro.”, concluiu.