Pular para o conteúdo
'Razões para acreditar'

Policial acreano que viralizou ao ajudar picolezeiro ganha vaquinha virtual para realizar sonho da casa própria

Coordenador do Programa Amigos Solidários no Acre, Derineudo dos Santos, já entregou cinco casas a pessoas em situação de vulnerabilidade. O que poucos sabiam, é que ele também não possui casa própria, situação que agora deve mudar!

Apesar de já ter ajudado inúmeras pessoas por meio do projeto, Derineudo ainda não possui casa própria. Na foto, o policial militar ao lado da esposa, Fábia Souza (Foto: Arquivo pessoal)

O policial militar do Acre Derineudo dos Santos já entregou uma casa e reformou outras quatro para pessoas em situação de vulnerabilidade social no Acre, por meio do Programa Amigos Solidários, com apoio da página da web Razões para Acreditar. O que pouca gente sabe é que ele e sua família não possuem casa própria, mas, para a surpresa deles, ‘Razões’ decidiu promover uma vaquinha virtual, com objetivo de arrecadar fundos e realizar o sonho de Derineudo e da família de terem a casa própria.

A vaquinha virtual entrou no ar nesta sexta-feira, 17, e tem como meta o valor de R$ 135 mil. Emocionado, Derineudo agradeceu o apoio de todos.

“Estou sem palavras, mas que Deus faça a vontade dele. Estamos aqui pra receber e continuar ajudando as pessoas da melhor forma (…) Obrigado a todos que acompanham a nossa história, todos que estão nessa missão de contribuir com esse sonho. Agradeço em nome de toda a minha família, em nome de todas as pessoas que foram ajudadas e, com certeza, continuarão sendo ajudadas pelo projeto Amigos Solidários”

Derineudo dos Santos

Sobre o PM

Talvez você não saiba quem é Derineudo Souza dos Santos, mas, com certeza, se recorda do vídeo em que um policial militar ajuda um vendedor de picolés a comercializar seus produtos. Era 31 de dezembro de 2020, quando o PM decidiu “fechar o ano com chave de ouro”, como ele mesmo disse, e encontrou o senhor Manoel Vieira, de 58 anos, pensativo na rua.

Naquele momento, Derineudo não teve dúvidas e decidiu o ajudar. Além de conseguir vender todo o carrinho de picolés do senhor Manoel, ele conseguiu arrecadar fundos para comprar uma casa para o picolezeiro, com ajuda da página de alcance nacional “Razões para Acreditar”, que tomou conhecimento do caso e promoveu um financiamento coletivo para realizar o sonho de Manoel e da família.

Com a repercussão, em apenas quatro dias, foram arrecadados R$113 mil e, em maio, o senhor Manoel teve seu sonho realizado: sua casa, no bairro Altamira, parte alta de Rio Branco.

O que Derineudo não sabia, até então, é que o ato realizado, espontaneamente, desencadearia uma onda de solidariedade que retornaria para ele e sua família.

Relembre o vídeo:

Amigos Solidários

Coordenado por Derineudo, o Programa Amigos Solidários já possui quase oito anos de existência, e começou através de sua própria família, pelo exemplo do pai, Bartolomeu, que desenvolvia uma ação chamada Família Musical. No projeto, o pai ensinava música para os sobrinhos, os filhos e o grupo se apresentava em escolas, praças, entre outros lugares.

“Com o tempo surgiu o Amigos Solidários, que começou em 2015, quando eu e a minha esposa tivemos a iniciativa de entregar cestas básicas no [bairro] Caladinho [em Rio Branco/AC], e fomos lá entregar sete brinquedos, só não sabíamos que era suficiente apenas para a entrada no bairro, porque havia cerca de 30 crianças aguardando, naquele momento foi uma situação mais desagradável do que prazerosa, porque a gente vendo aquela realidade, tantas crianças querendo brinquedos, a minha esposa se emocionou, mas a gente entregou assim mesmo”, relembra ele.

A partir desta experiência em que o sentimento de impotência tomou conta do casal, eles conversaram e decidiram relatar a experiência aos amigos mais próximos e familiares, além de publicar nas redes sociais, com o objetivo de fazer uma arrecadação e retornar ao bairro para alcançar mais crianças.

“Retornamos um mês após o acontecido, com 750 brinquedos e 72 voluntários. Foi um impacto, porque a gente sabia que estava pedindo para um e para outro, mas não sabíamos que ia dar aquela quantidade. Os voluntários disseram que queriam continuar com a ação, e fizeram uma votação e aí ganhou o nome ‘Amigos Solidários’, e desde então, o grupo não parou mais e hoje já atende diretamente quase mil crianças e jovens no Acre.

Especial Gente do Acre: ‘Eu vou vencer pra ajudar essas crianças que sofrem’, diz Derineudo Santos, policial que promove rede de solidariedade no Acre