Pular para o conteúdo
CELEBRIDADES

Leonardo Dicaprio e Camila Morrone trocam carícias na ilha mais chique do Caribe

Leonardo Dicaprio não brinca quando o assunto são suas companheiras. Ao longo de décadas de carreira, as beldades que entraram na vida do hollywoodiano ficaram conhecidas principalmente por serem as mais belas. A prova disso é que o ator já engatou um romance com a supermodel brasileira Gisele Bundchen que chegou ao fim em 2005 após cinco anos de namoro. Porém, novos registros indicam que o astro do cinema está mais do que feliz ao lado da atual namorada Camila Morrone.

Os pombinhos foram flagrados em viagem a St. Barths. Nas fotos, ambos aparecem em momentos de descontração e até chegam a trocar beijos em mergulho na praia. Morrone Dicaprio namoram há cinco anos, mas não costumam fazer aparições juntos. O dia foi marcado por esportes aquáticos, aventuras de scooters, jet ski e lanchas no meio do oceano.

Não olhe para cima

Em vídeo promocional da NetflixLeonardo Dicaprio explica o verdadeiro significado do filme Não Olhe Para Cima, que já se tornou um dos maiores sucessos da plataforma de streaming. “Se eu tivesse que resumir Não Olhe para Cima, eu diria que é uma analogia da cultura moderna e nossa incapacidade de ouvir a verdade científica. Muitas vezes, na minha carreira, procurei um filme que tivesse um subtexto ambientalista. Mas assim com todas as notícias sobre as mudanças climáticas, muita gente não quer ouvir. E fazer um filme sobre isso é uma tarefa ainda mais difícil. E Adam [McKay, diretor do filme], que não tem medo de se posicionar sobre a crise climática, queria fazer um filme que pusesse uma pitada de humor ácido num problema tão assustador”, afirma o ator.

O artista, que é um defensor assíduo do meio ambiente, completa: “Há verdades complicadas que eles [personagens] precisam enfrentar, assim como nós, como espécie, na Terra. Adorei a forma como o filme acaba, porque nos faz olhar com atenção para onde estamos indo. Muitas coisas estão se tornando irreversíveis, e nós temos uma janela curtíssima de dez anos para fazer essa transição. Se não votarmos em líderes ou apoiarmos tudo ligado a mitigação climática, nós teremos um destino parecido com o desses personagens”.