Já deu, né? – Jornal A Gazeta

Já deu, né?

Hoje termina o horário de verão. E, como diria o sábio filosofo Coxinha, ‘vai, vai, vai te embora, carniça’! Brincadeiras à parte, a meu ver, o horário de verão é extremamente desgastante e obsoleto. Torna o abismo temporal que separa os acreanos do Brasil maior ainda.

 

“Quem pega o voo de Brasília a Rio Branco com mais frequência sabe bem do que estou falando! Você sai 23h do Distrito Federal e chega 22h45, mais cedo, no Acre”

A justificativa para a medida é o ganho na economia de energia elétrica durante os dias mais longos do verão, só que, para isso, mexem com a hora, o dia a dia de milhões de brasileiros. E nos jogam em uma espécie de ‘túnel do tempo’ de três horas em relação ao fuso horário mais abrangente no país. Quem pega o voo de Brasília a Rio Branco com mais frequência sabe bem do que estou falando! Você sai 23h do Distrito Federal e chega 22h45, mais cedo, no Acre.
Recentemente, divulgaram estudos que concluíram que o horário de verão já não é mais tão eficiente devido à mudança no perfil de consumo dos brasileiros. Antes, as pessoas eram incentivadas a terminar o expediente mais cedo, empresas fechavam ainda à luz do dia. Porém, na atualidade, as jornadas de trabalho são mais dinâmicas. As pessoas trabalham mais, chegam em casa à noite, usam mais o ar-condicionado durante o calor de manhãs e tardes.
Resumindo: até estudo já tem comprovando que o horário de verão não é mais eficaz. Ainda assim, insistimos em manter essa medida por pura força de tradição, talvez medo de mudar.
Se o objetivo é poupar energia, o Brasil está no caminho certo. É só continuar aumentando o valor das tarifas de energia, criar as modalidades vermelho carmim, vermelho PT, vermelho sangue e a ‘vermelhão’ [pode criar até uma bandeira mais cara ainda, a ‘preta’], que rapidinho a população vai começar a economizar. É o exemplo da gasolina. Foi só subir o preço toda semana que de repente as pessoas começaram a trocar o carro por moto e bicicleta.
Que o Ministério das Minas e Energia faça campanhas de conscientização, crie incentivos para quem for mais econômico, estabeleça leves racionamentos, rodízios, invista em novas formas de energia mais limpas, faça o que for, mas só tome coragem para acabar de vez com esse horário de verão. Já chega! Deu o que tinha que dar. Espero que a experiência deste ano em reduzir o período sirva como uma motivação para acabar de vez com o horário de verão.

Assuntos desta notícia