Músico representa o Acre em apresentação

Ansiedade e muita concentração agora fazem parte da vida de José Carlos Souza do Nascimento, o violinista de apenas 23 anos, nascido em Rio Branco, que foi selecionado para representar o Acre na apresentação de gala da Orquestra Jovem do Brasil para uma das comemorações oficiais dos 20 anos da queda do Muro de Berlim. O grupo em que o jovem acreano passa a integrar é composto de 67 músicos promissores dos 27 estados brasileiros e que interpretarão nada menos do que a Nona Sinfonia de Beethoven, obra tida como uma das mais clássicas e mais difíceis do compositor alemão, com 53 min. de duração.

O evento especial é uma iniciativa da ONG Ação Social pela Música do Brasil e será apresentado na Sala Cecília Meireles, Rio de Janeiro, no dia 27 deste mês, marcando o lançamento da orquestra. Ainda faltam 9 dias, mas José Carlos já mal se contém de tanta empolgação para esse momento, capaz de transformar a sua com uma experiência marcante de aprendizado e inúmeras possibilidades. E mais do que ansiedade, o violonista não pára de ensaiar e aperfeiçoar mais ainda a sua parte no espetáculo. Tudo para realizar uma de suas melhores perfomances e representar com orgulho o Estado em que nasceu.

De acordo com o jovem músico, que é aluno desde os 11 anos da escola Musicalizar e um dos 1º violinistas das Orquestras Filarmônicas da instituição e do Estado, tudo começou com a indicação do maestro e professor Romualdo Silva Medeiros. “Ele me indicou e daí a equipe da ONG carioca registrou o meu contato e, depois, me selecionaram para integrar a Orquestra Jovem do Brasil de acordo com o meu perfil. Nós já ensaiamos bastante a nona sinfonia e acredito que estou preparado para tocá-la”, comentou.

Segundo José Carlos, a viagem marcará uma guinada na sua trajetória como músico. Ele estará embarcando no Rio de Janeiro depois de amanhã e espera retornar com muitas novidades, além da satisfação de um sonho na vida realizado.

“Para mim, esta é uma oportunidade de conhecer grandes nomes da música filarmônica e crescer individualmente. Já fiz viagens importantes para me aprofundar em cursos de música, mas sem dúvida essa será muito especial. É como um sonho se realizando. Além disso, também sou instrutor de violino na Musicalizar e acho que uma participação igual a esta pode servir e muito como um incentivo a mais para as crianças daqui que querem traçar esse caminho”, finalizou.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation