DDT: deputada acreana alerta bancada para evitar mais mortes

A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) lamentou o falecimento de mais um guarda da extinta Sucam, Manoel Nogueira dos Santos (48), ocorrido na noite de quarta-feira em São Paulo. Ela fez um alerta público para que todos os parlamentares federais do Estado (deputados e senadores) assumam a obrigação social de intervir pela vida das vítimas do DDT no Acre.

Este apoio político será, entende a deputada, determinante para obrigar o poder público a cumprir a sua obrigação como empregador, amparar os pacientes e garantir o mínimo de qualidade de vida às pessoas que, hoje, já perdem o sentido da vida.

“Eu preciso da ajuda de todos. O Ministério da Saúde faz corpo mole, tratando o caso como uma questão menor. Há uma certa omissão por parte de alguns representantes do povo no Congresso Nacional. Isso é desumano, intolerância, inadmissível”, relatou a deputada, que é autora do projeto que exige o pagamento de R$ 100 mil às famílias das vítimas.

A proposta, que também beneficia familiares dos servidores já falecidos, está pronta para votação nas principais comissões da Câmara Federal.
O ministro José Gomes Temporão (Saúde) foi informado ontem, pelo gabinete da deputada em Brasília, sobre o “gravíssimo” estado de saúde de outros 18 pacientes contaminados pelo inseticida.

Perpétua cobrou o compromisso assumido pelo ministro de agir política e administrativamente para tratar estas pessoas e evitar mais mortes. No Acre, já há ordem judicial obrigando o poder público a assumir esta responsabilidade.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation