Pular para o conteúdo

Prefeitos discutem recursos para os municípios

Os prefeitos dos 22 municípios do Estado se reuniram ontem pela manhã, 14, na sede da Associação dos Municípios do Acre (Amac) para discutir a construção da sede da entidade, a prestação de contas de 2009 e os recursos oriundos de emendas de bancada que ainda não foram empenhados. A Amac existe há 20 anos, mas ainda não dispunha de uma sede própria.
“Na reunião de hoje, a Amac está apresentando os projetos, recursos, fazendo o balanço das contas e investimentos que foram alocados para os municípios de todo o Estado. Os projetos apresentados pelas cidades somaram mais de R$ 93 milhões, só que até o momento foram empenhados apenas R$ 40 milhões; falta empenhar ainda pouco mais de R$ 53 milhões”, explicou a prefeita de Brasiléia, Leila Galvão.

Leila salientou a força dos municípios em torno da Amac.

Segundo o prefeito Raimundo Angelim, que também preside a Associação dos Municípios do Acre, “a institucionalização da Amac é muito importante para a consolidação das resoluções e também para a definição do estatuto do Plano de Cargos, Carreira e Salários dos servidores da entidade”, explicou.

Outro tema debatido durante a assembléia da Amac foi a redução do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Os prejuízos para os municípios, no ápice da crise, giravam em torno 14% ao mês.

Reajuste salarial – Em entrevista, o prefeito Raimundo Angelim disse que envia amanhã à Câmara de Vereadores para apreciação, projeto de lei que reajusta o salário mínimo dos servidores municipais em 10,6%. O aumento tem o objetivo de repor as perdas salariais de 2008/2009. “O reajuste visa recuperar o que o servidor perdeu com a inflação, no período de 2008/2009. O déficit chegou a 10,6%. Caso a Câmara aprove, o reajuste já entra no pagamento de janeiro”, frisou Angelim. (Ascom PMRB)