Prefeitura fecha acordo com empresários para renovação da frota de ônibus

Angelin-transportes

Veículos são totalmente adaptados aos portadores de necessidades especiais
Renovação de 44% da frota de ônibus. Os números foram repassados pelo prefeito Raimundo Angelim em entrevista coletiva hoje pela manhã, 21, na sala de reuniões da prefeitura. Acompanhado do superintendente Municipal de Transporte e Trânsito, Ricardo Torres; Angelim apresentou dados do acordo que foi firmado com os donos das empresas de transporte coletivo para readequação da frota.

Até 30 de abril de 2010, 62 novos ônibus estarão circulando na Cidade. Os veículos são totalmente adaptados aos portadores de necessidades especiais. Outra medida importante prevista para o próximo ano é a implantação do sistema de gestão de qualidade na prestação de serviços, buscando estabelecer o padrão ISO 9000 no transporte público. Entre as metas do sistema estão os cursos de requalificação para operadores existentes (motoristas, cobradores, fiscais); curso de qualificação para novos operadores e investimento tecnológico em controle de horários de passagem dos ônibus nos pontos de parada. “Queremos que a população tenha um transporte de qualidade e com bom atendimento também”, salientou Angelim.

Outras medidas a serem adotadas são as campanhas educativas para o transporte, a publicação dos dados operacionais e implantação do Plano Diretor de Transporte e Trânsito (PDTT).
Sem aumento nas tarifas

O prefeito Raimundo disse na entrevista que o aumento na frota não implica no reajuste da tarifa de ônibus. “São mudanças necessárias, já que a frota que tínhamos era muito antiga. A renovação da frota, não quer dizer aumento das passagens”. Angelim ressaltou que os aumentos anteriores foram embasados em “planilhas e estudos bem criteriosos. Temos a 12ª menor tarifa do País. Estados como São Paulo, Belo Horizonte e Manaus tiveram reajustes e pagam tarifas de R$ 2,30, R$ 2,70; enquanto que em Rio Branco, nesses quase cinco anos de governo, tivemos apenas dois aumentos: dois reajustes de R$ 0,15. Ou seja, em cinco anos a passagem de ônibus aumentou R$ 0,30”, salientou Angelim.
Plano Diretor

Segundo levantamentos da Superintendência Municipal de Trânsito (Rbtrans) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) Rio Branco possui hoje uma frota estimada em 82.785 mil veículos, sendo 33.899 mil só de motocicletas. Nesse sentido, o Plano Diretor de Rio Branco além de estudar soluções para os problemas ocorridos na capital também redefine alguns critérios do transporte coletivo de Rio Branco.

Atualmente o Município possui frota superior a 134 ônibus distribuídos em 31 linhas regulares na zona urbana e outras quatro na área rural. De acordo com os dados do Rbtrans aproximadamente dois milhões de passageiro fazem uso do Sistema de Transporte coletivo todos os meses usando como base o Terminal Urbano, no centro da capital. Já o transporte particular conta com 603 taxistas e 482 mototaxistas regularizados. Os investimentos em urbanização buscam, nesse sentido, propor um desenho da cidade, que consiga abarcar o desenvolvimento populacional, demográfico e dos bairros.

Frota de carros cresce 14% ao ano

O cenário sócio-econômico de Rio Branco aponta para um crescimento de 14% ao ano da frota. Para absorver o impacto desse crescimento várias medidas têm sido adotadas desde 1999, quando o ex-governador Jorge Viana iniciou a reestruturação das vias urbanas de Rio Branco.

Nesse período foram iniciadas as obras de duplicação do acesso ao aeroporto internacional, na BR 364; a construção da Via Chico Mendes, Avenida Antônio da Rocha Viana, Via Verde, Parque da Maternidade, terceira ponte sobre o rio Acre, Parque Tucumã, primeira etapa da nova Avenida Ceará e duplicação da Avenida Valdomiro Lopes. O governo de Binho Marques mantém o ritmo e já concluiu a segunda etapa da Nova Ceará e finalizou a fase seguinte. Com elas, a cidade conta com 60 quilômetros de ciclovia, proporcionalmente uma das maiores malhas do País para bicicletas.

Investimento em vias urbanas

Os investimentos da Prefeitura no desenvolvimento da capital evoluíram de R$ 23 milhões, em 2005, para R$ 94 milhões, em 2008, o que representou um aumento de 305,55%. Para a urbanização de bairros foram destinados R$ 32,2 milhões, e o restante foi alocado para a sinalização de vias urbanas, intervenções em eixos troncais, construção de calçadas públicas e aquisição de máquinas. (Ascom/PMRB)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation