Falha em sistema de proteção teria provocado ‘apagão’, diz Eletronorte à Aneel

AUSINA
Uma nota emitida pela Eletronorte no final da manhã de ontem, descreve a situação em que teria ocorrido a pane na distribuição de energia no Acre e em Rondônia na última sexta-feira, 8, quando a população dos dois estados ficou sem energia por quase seis horas. A comunicação oficial foi encaminhada à Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel. Segundo a Eletronorte, ocorreu uma abertura acidental da linha que interliga Acre e Rondônia, no trecho entre Pimenta Bueno e Vilhena (RO), com o Sistema Interligado Brasileiro – SIN.

Após a abertura da interligação, o Esquema Regional de Alívio de Carga (Erac) deveria ser acionado automaticamente e ajudar a manter um percentual de carga promovendo um equilíbrio entre as unidades geradoras que ficaram isoladas do SIN. Como isso não aconteceu houve a interrupção total da carga. A Eletronorte informou à Aneel que “está realizando as devidas análises e estudos para encontrar a verdadeira causa dessa não atuação do Erac conforme projetado”. O estudo estaria sendo feito, segundo o diretor de Produção e Comer-cialização da Eletronorte, Wady Charone, por  técnicos da Eletronorte, juntamente com o Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS.  

Charone afirma que pelo menos 62% da energia deveriam ter sido preservados por meio da atuação do Erac, “fato esse que não ocorreu, o que contribuiu para a ocorrência do blecaute no sistema Acre-Rondônia e para o alto tempo de restabelecimento da energia elétrica”.

O blecaute do dia 8 causou transtornos e prejuízos aos moradores dos dois estados. No Acre, o governador Binho Marques divulgou nota em que esclarece o compromisso do Estado em cobrar das agências fornecedoras e reguladoras mais compromisso com o fornecimento de energia e fiscalização dos serviços prestados.

MPF reúne-se com entidades para discutir fornecimento de energia
Em reunião na tarde de ontem (14), a Federação do Comércio do Estado do Acre (Fecomércio) e a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) apresentaram ao procurador da República, Ricardo Gralha Massia, uma série de reclamações referentes às constantes interrupções no fornecimento de energia elétrica para o Estado do Acre.

Segundo o relatado, o apagão ocorrido na última sexta-feira (8) foi apenas uma demonstração da instabilidade do fornecimento, o que expõe a classe dos comerciantes e industriais a prejuízos incalculáveis, afastando, inclusive, planos de expansão das empresas, o que afeta toda a sociedade, já que postos de trabalho deixam de ser criados.
O procurador explicou aos dirigentes das associações o que já foi feito sobre o caso, além do acompanhamento contínuo da situação, relatando que já foram oficiados para dar explicações sobre o caso a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a Eletroacre e Eletronorte.

Nesta sexta-feira, (15), os diretores do Sindicato dos Urbanitários também estarão reunidos com o MPF, para oferecer dados técnicos e detalhes que são do conhecimento do Sindicato e que também possam servir como reforço a todos os dados já colhidos na análise do MPF sobre o caso. Esses dados podem ser usados para subsidiar uma eventual ação civil pública contra os órgãos responsáveis pelo sistema elétrico no Estado.

Com os representantes da Fecomércio e CDL ficou agendada uma outra reunião para a próxima terça-feira, (19), na sede da Fecomércio, ocasião em que as entidades entregarão uma representação ao procurador, detalhando todos os prejuízos gerados para a classe empresarial no Estado. (AscomMPF)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation