Em três semanas, quase trinta quilos de droga são apreendidos no Juruá

A última apreensão foi realizada na última quarta-feira (6), três pessoas foram presas. A vasta região de floresta do Vale do Juruá esconde várias rotas usadas pelos traficantes para trazer o entorpecente do Peru.

A Polícia Federal já vinha investigando Willian Costa do Nascimento, 21 anos e Walisson Dias de Oliveira naturais do estado de Minas Gerais. A dupla estava hospedada em um hotel de Cruzeiro do Sul e traçava estratégia para levar 8 quilos de pasta-base de cocaína para Rio Branco.

Um dos mineiros se juntou ao cruzeirense Raimundo Nonato de Freitas, 21 anos, morador no Bairro do Colégio. Os dois embarcaram em um ônibus com destino ao município de Tarauacá, mas após a travessia do Rio Juruá já no início da BR-364, foram parados em uma barreira da Polícia Federal e presos em flagrante com a droga. O outro mineiro foi preso no hotel onde estava hospedado. Willian Costa do Nascimento tem passagens pela polícia, já havia cumprido pena em Minas Gerais e em Cruzeiro do Sul acusado de participação em um assalto.

Policiais da Delegacia da Polícia Federal em Cruzeiro do Sul chefiada pelo delegado José Roberto Peres, vêm realizando várias apreensões de droga no Vale do Juruá. Nas últimas três semanas foram apreendidos 24 quilos de pasta-base de cocaína e dois quilos de maconha trazidos do Paraguai.

Apesar do trabalho de fiscalização, a enorme região de fronteira terrestre do Acre com o Peru, oferece várias alternativas para quem conhece a área e se dedica ao tráfico internacional de drogas. Além dos rios que permitem o acesso ao Peru, o trajeto também pode ser realizado a pé por trilhas no meio da mata.

Recentemente a maioria da droga apreendida, é trazida por meio de ramais que são interligados dando acesso a Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves e Mâncio Lima. Parte do entorpecente que vem do país vizinho é consumida nos municípios do Vale do Juruá. Segundo o delegado de Polícia Civil, Elton Cristiano Futigami, isso reflete diretamente no aumento da criminalidade, gerando despesas para o Estado e transtornos para as famílias tanto de usuários como das vítimas de quem é viciado em drogas.  
(www.tribunadojurua.com/Genival Moura)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation