Pular para o conteúdo

Juventus tenta fazer sua própria história na Copa do Brasil

ZZZZZZJUVENTUSPara muitas equipes grandes do país, a Copa do Brasil é o atalho mais rápido para uma vaga na Copa Libertadores da América, uma das mais rendáveis e cobiçadas competições do Continente. Para os pequenos clubes e os “emergentes”, a Copa do Brasil é uma oportunidade de ouro de expor seus jogadores e tentar uma venda “irrecusável”.

Para o AC Juventus, em sua terceira participação, seria mais uma oportunidade de tentar a inédita vitória sobre um dos grandes do Brasil. Em 1996, na sua última participação, o Clube do Povo acabou sendo desclassificada pelo Cruzeiro, outra equipe mineira. Agora, contra outro mineiro, o Atlético, o Juventus quer tentar quebrar o tabu.

Apesar da Copa do Brasil ter iniciado em 1989, quando o tetracampeão Grêmio/RS levou o título, a estréia acreana foi apenas em 1990, justamente com Juventus, sendo eliminado pelo Rio Negro/AM, nas cobranças de penalidades máximas. Em 1996, o Clube do Povo eliminou outro Atlético, só que o roraimense, quando acabou eliminado no jogo de volta, em Belo Horizonte, contra o Cruzeiro.

Nas 19 vezes que um clube acreano esteve na Copa do Brasil, o maior representante foi o Rio Branco FC, com 12 participações. Inclusive  a melhor campanha acrea-na foi justamente pelo Estrelão em 1997, quando chegou na terceira fase, ficando na 10ª colocação.

O AC Juventus em cinco jogos balançou a rede cinco vezes, mas sofreu sete no total. O Vasco da Gama, em 2002, é a única equipe que não tem saldo negativo, jogando duas vezes, marcou duas vezes e sofreu gols outras duas vezes. O Atlético Acreano, em 1992, saiu da competição como única acreana equipe a não conseguir marcar na Copa do Brasil, sofrendo três gols. O Rio Branco FC jogou 34 jogos, vencendo sete, empatando 10 e perdendo 17 partidas. Marcou 30 vezes e tomou 61, ficando com saldo negativo de 31 gols. O Independência FC foi a segunda equipe em número de jogos. Foram nove no total, tendo marcado 10 e sofrido 15 gols.

O Juventus em dois anos, 1990 (primeira participação acreana na Copa do Brasil) e 1996. Atlético Acreano foi em 1992 e o Vasco em 2002. O Rio Branco participou em 1991, 1993, 1995, 1997, 1998, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2008 e 2009. O Independência foi em 1994, 1999 e 2000.

Curiosidades – Cruzeiro/MG e Grêmio/RS são os maio-res vencedores da Copa do Brasil, com quatro títulos para cada uma delas. Porém é uma competição democrática, pois apesar de ter Flamengo, Corinthians, Fluminense, Internacional, Palmeiras e Sport, também dá oportunidade a equipes de menor expressão, como Paulista/SP, Santo André/SP e Criciúma/SC.

Artilheiros – O artilheiro da primeira edição da Copa do Brasil foi justamente Gerson, do Atlético/MG, com sete gols. O maior goleador na competição nacional foi Fred, do Cruzeiro/MG, em 2005, com 14 gols assinalados. As equipes que mais tiveram artilheiros foram: Flamengo, Botafogo e Interna-cional, com cada um fazendo três goleadores cada.

Goleada – A maior goleada da história da competição ocorreu no dia 4 de março de 1991 no Mineirão, quando o Atlético (MG) aplicou sonoros 11 a 0 no pobre Caiçara (PI). Em 28 de março de 2001, o São Paulo goleou o Botafogo (PB) por 10 a 0.