Pular para o conteúdo

Acre terá cursos de educação profissional para melhorar formação de trabalhadores

AAAAAAAAAAAAAAAACRE
Conhecimento e qualificação técnica! Apesar de qualquer aptidão natural, estas ainda são as duas bases para a prática efetiva de qualquer exercício profissional. É para fortalecer esse saber e melhorar a formação dos trabalhadores acreanos que o Estado receberá, a partir do 2º semestre deste ano, os primeiros cursos técnicos oferecidos pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre (Ifac), uma instituição do Governo Federal que compõe uma das duas divisões da rede de educação pública para institutos (a outra corresponde ao já conhecido Ensino Superior).

Segundo o pró-reitor de Ensino do Ifac, Degmar dos Anjos, a entidade é uma instituição de aprendizado que trabalha exclusivamente com Educação Profissional, um campo que abrange todo tipo de lição voltada à qualificação do trabalhador. No Acre, ele oferecerá, inicialmente, cursos em 4 cidades: Rio Branco (Segurança no trabalho, Tecnologia logística, Manutenção, Suporte de informática, Física e Matemática); Cruzeiro do Sul (Agropecuária, Controle ambiental e Química); Xapuri (Agroecologia e Meio ambiente) e Sena Madureira (Agroecologia, Cooperativismo e Biologia). 

“O Ifac trabalha desde cursos de curta duração, que va-riam entre 40 a 100 h, até aqueles que são o nosso grande foco, que são os cursos técnicos cria-dos para formar profissionais especialistas em diversas áreas e duram cerca de 2 anos. Hoje, temos em todo país uma série de pólos para a formação técnica. Na bacia de Santos, por exemplo, temos cursos para extração de petróleo. Em Mato Grosso, para a área de biocombustíveis, entre outros. Em síntese, a idéia é qualificar o trabalhador no contexto da sua região, por isso, o presidente Lula está investindo muito nestes cursos”, explicou.

Para tal meta, a rede de cursos técnicos do Governo Federal, que inclui o Ifac, possui quatro categorias. A primeira são os cursos de Ensino Médio integrado, para alunos ainda cursando o EM. A segunda corresponde aos cursos técnicos pós-médio, destinado para quem já tem o EM, como uma espécie de pré-graduação. A terceira é a própria classe de graduação e a quarta diz respeito às de pós-graduações.

Segundo Degmar dos Anjos, o Ifac, no primeiro momento, trabalhará com gradua-ções em 5 cursos superiores, dos quais 4 são licenciaturas nas áreas de química, física, biologia e matemática e 1 de graduação tecnológica em administração. “No futuro, trabalharemos com pós-graduação, mestrado e doutorado.

Ifac abre concurso para docentes e técnicos em nível superior

Para montar a sua equipe de profissionais que atuarão no Estado, o Ifac já começou a captar recursos do Governo Federal há um ano e abriu desde anteontem (3) o edital para seu primeiro concurso público. Nele, foram disponibilizadas 110 vagas para 2 cargos: 75 vagas para docentes e 31 para técnicos administrativos de nível superior. O salário inicial para docentes é de R$ 2.800 a 6.500, chegando posteriormente até a R$ 12 mil. Para técnicos de nível superior, o piso inicial é de R$ 2.400.

As inscrições durarão até o dia 24 deste mês e só poderão ser preenchidas nos lugares selecionados (o motivo de não serem feitas pela internet é para não atrair pessoas de fora do Estado), das 8 às 13h. Em Rio Branco, estes locais são: esc. Heloísa Mourão, Cerb e na Ufac (sala 1, ao lado da biblioteca). O valor das inscrições é de R$ 90,00 e deve ser paga diretamente no banco (edital especifica como; ele está disponível no site www.ifac.edu.br).

Conforme Degmar dos Anjos, provavelmente em março o Instituto Federal do Acre deve abrir um novo concurso público para técnicos de nível médio.

Inscrições para o vestibular já devem ser abertas a partir de abril

De acordo com o pró-reitor de Ensino, as inscrições para o 1º vestibular do Ifac já devem ser abertas em abril deste ano. As aulas devem começar a partir do 2º semestre e funcionarão provisoriamente em algum lugar alugado, que ainda está em negociações na Capital. Nas outras 3 cidades ficarão nas dependências de áreas pertencentes ao Governo Estadual. A partir do 2º semestre de 2011 ou, no máximo, para o começo de 2012, as aulas passarão a ser lecionadas no campus próprio que está sendo planejado para o Ifac, situado em um terreno no bairro Xavier Maia, perto da escola Glória Perez.

“O Instituto faz parte de uma determinação do Governo Federal promulgada no final de 2008, por da Lei 11.892, que estabeleceu que o país tivesse 38 institutos de Educação Técnica (um destes é o Ifac). Passamos o ano passado inteiro traçando os nossos planejamentos e agora, em 2010, queremos agilizar esse processo de integração junto à sociedade para já começarmos a atuar com uma infra-estrutura adequada ainda neste ano. Estamos com boas expectativas para a nossa atuação e esperamos contribuir muito para a formação acreana, já que os cursos são feitos baseados na realidade local”, encerrou Degmar dos Anjos.