Pular para o conteúdo

Binho inaugura Maternidade Bárbara Heliodora no Dia da Mulher

O governador Binho Marques reafirmou nesta segunda-feira, 19, no programa Dois Dedos de Prosa, o compromisso de seu mandato com a saúde da mulher e da criança. Entre os vários projetos e programas ligados ao tema, estão a reforma e reestruturação das maternidades de referência para gestação de alto risco nas principais cidades do Acre. Em 8 de Março próximo, Dia Internacional da Mulher, Binho Marques inaugura a Maternidade Bárbara Heliodora, que foi completamente melhorada com ambientes e equipamentos adequados à referência de maternidade estadual.

binho_prosa

“Tanto aqui como em Cruzeiro do Sul, que vai atender todo o Estado, aqueles casos mais graves de partos com riscos, as maternidades vão estar prontas para atender as mães e também as crianças em situações muito complicadas e graves. As duas maternidades terão as mais avançadas estruturas de UTI para atender as nossas crianças. Junto a isso, ela referencia, orienta, ajuda todo o trabalho, que vai desde a base acontecendo sendo feito pelas prefeituras. Para isso, o governo também está investindo nas prefeituras, pagando as prefeituras para cada atendimento de pré-natal que ela realiza com as mães”, disse o governador.

A Bárbara Heliodora é um complexo hospitalar que dá nome ao Parque da Maternidade. “Eu desejo que na Amazônia o Acre seja referência no atendimento de crianças e também da mãe”, afirmou o governador. Não são ações apenas em Rio Branco, mas em todo o Estado, e há também série de ações que já proporcionaram muitos avanços, entre eles o aumento da cobertura vacinal em mais de  95% do público-alvo (crianças de 0 a 5 anos). No Acre, são cerca de 80 mil nessa faixa etária, e o foco são os menores de 1 ano, os quais somam cerca de 17 mil crianças.

“Para ser exato 95% do atendimento dos partos acontecem no ambiente público, agora eu acho que nenhum Estado do Brasil acontece dessa maneira, tem Estados com atendimentos privados e é muito grande chega a mais de 40%, no Acre fica em torno de 5% o atendimento privado, quer dizer, a rede pública atende por toda essa necessidade”, explicou o governador.

O Acre, destacou o governador, vem registrando desempenho positivo na saúde de mulher e da criança. Destacam-se a redução da mortalidade infantil, em que o Acre saiu da faixa de alto risco para risco médio. Em 1999 a mortalidade era de 37 crianças para cada mil nascidos vivos mas em 2006 caiu para 20,5, e, em 2008,  para 17,6. A faixa de alto risco são mais de 20 mortes/1.000 nascidos vivos.

O governador destacou também os investimentos do Pró-Acre, o programa que tem levado serviços básicos para as comunidades mais remotas do Estado.  “A prioridade máxima do ProAcre  é atender as mulheres, mas claro ele faz o atendimento de saúde para todo o conjunto da população nas áreas mais distantes, isoladas, subindo os rios, indo nas comunidades de difícil acesso, nos seringais, mas a prioridade mesmo é atender as mulheres”, lembrou. (Agência de Notícias do Acre)