SESI realiza “raio-x” nas indústrias acreanas

Modelo SESI de Sustentabilidade funciona como consultoria que tem o objetivo de identificar as falhas e acertos das empresas

Uma ferramenta de diagnóstico e auto-avaliação que propõe às indústrias brasileiras uma reflexão sobre seus processos de gestão relacionados à sustentabilidade e a qualidade de vida no trabalho. Esse é o Modelo SESI de Sustentabilidade, que em 2009 atendeu quatro empresas acreanas dentro de um projeto piloto, mas que a partir deste mês, será expandido para todas que desejarem avaliar suas atividades.

A empresa Laticínios Buriti foi uma das atendidas dentro do piloto, em 2009. Para o proprietário, Joafran Nobre, o modelo tem grande utilidade e a principal mudança, vista de imediato, é na nova percepção e atitudes dos colaboradores.

“O modelo é um verdadeiro raio-x que nos faz entender até que ponto a empresa está acertando ou errando, se a qualificação oferecida aos colaboradores foi proveitosa, se a empresa está crescendo, enfim, é muito útil, com certeza”, destacou o empresário.

O processo atende a todos da empresa, desde a alta administração aos colaboradores. É a partir do depoimento e dos questionários respondidos por cada um que o histórico da empresa é montado.

Com isso, o SESI pretende formar um banco de práticas para possibilitar a comparação do resultado da empresa com as demais que aplicarão a ferramenta no país e por segmento de negócio.

Dentro do projeto, diversas áreas são avaliadas, sendo elas: cultura organizacional, gestão de pessoas, inovação, educação e desenvolvimento, ambiente de trabalho seguro e saudável, e desenvolvimento socioambiental.

Dentre os muitos benefícios que o modelo traz para a empresa estão uma ampla discussão sobre os processos de gestão, que possibilita a verificação do equilíbrio entre suas práticas e performance; entendimento dos requisitos para o alcance da excelência  na gestão da sustentabilidade com foco em qualidade de vida no trabalho, e subsídio para decisões de investimentos em suas práticas a partir dos resultados obtidos nas áreas avaliadas. O SESI possibilita as empresas essa auto-avaliação com um diagnóstico rápido a custo zero.

De acordo com a equipe do SESI, responsável pelo desenvolvimento do modelo nas empresas, a partir dos dados coletados nas que foram atendidas em 2009 está sendo feito o refinamento dos indicadores diagnosticados, para posteriormente ser elaborada a proposta de consultoria para elevação de suas práticas e, assim, ajudar a empresa melhorar o seu desempenho.

Quanto às demais que desejam ser atendidas, o SESI informa que desde janeiro está sendo feito agendamentos. A agenda para aplicação do modelo, no entanto, está completa até final de maio, sendo que as que forem marcar aplicação somente terão datas a partir da primeira semana de junho. (Ascom/FIEAC)

           

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation