Reformas são prioritárias, diz Gladson

Num ano político que inclui eleições gerais e votação pelo Congresso Nacional de projetos importantes e outros ainda polêmicos – e de difícil maioria -, o deputado Gladson Cameli (PP) defendeu ontem uma ampla articulação suprapartidária que garanta a votação em plenário de projetos inadiáveis, “aguardados com ansiedade tanto pela classe política quanto pela população em geral”. O deputado se referiu diretamente às reformas política, tributária e previdenciária, “cujas diretrizes e novos posicionamentos podem contribuir para um melhor solucionamento de muitos problemas nacionais”.

O deputado acreano classificou como urgente a discussão e votação da reforma política. Ele destacou o financiamento público das campanhas, a lista pré-ordenada, a questão da chamada ficha-suja e as coligações proporcionais como itens fundamentais para a movimentação política e o esclarecimento devido do eleitorado. Para ele, é imprescindível  ainda a votação do projeto que extingue o fator previdenciário, cujo tema  interessa diretamente a milhares de trabalhadores brasileiros. O parlamentar lembrou que estes projetos movimentam partidos, sindicatos, associações e toda uma parte atuante da sociedade civil organizada, “que de forma legítima defende seus interesses e precisa de respostas a suas demandas”.

Em seguida, Gladson destacou também a urgência da complementação e consolidação da reforma tributária, com a esperada desburocratização e facilitação das negociações em todos os níveis, “como forma de dinamização e modernização do mercado brasileiro, o que vai, certamente, estimular a criação e milhares de novas empresas e seus novos postos de trabalho”. E lembrou que o parecer do relator da reforma tributária,deputado Sandro Mabel (PR/GO), está pronto para ser debatido pelo Plenário, a quem cabe fazer as modificações e ajustes necessários.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation