Seminário vai apresentar experiência italiana de fortalecimento de cooperativas e empresas sociais

Como resultado da parceria entre o Consórzio Societá in Rete – SiR/Pro.Do.C.S., da Itália, e o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Segurança Social – SEDSS, acontecerá no próximo dia 16 de março o Seminário “Empresa Social: uma possibilidade viável de cooperação e inclusão social”, no Auditório da Justiça Federal. O objetivo deste evento é divulgar a experiência italiana e refletir sobre a viabilidade de aplicação deste modelo no desenvolvimento das organizações sociais e na inclusão social das populações em situação de vulnerabilidade social no Estado do Acre.
Italiana
O evento contará  com a participação do presidente do Consórcio que há mais de 10 anos trabalha formando e fortalecendo cooperativas e empresas sociais na Itália. Segundo o presidente do Consórzio, Umberto Zandrini, “Compartilhar os nossos referenciais poderá contribuir para encontrar soluções aos desafios da superação da pobreza e inclusão social no Acre”.

A empresa social caracteriza-se por incluir pessoas em vulnerabilidade, a exemplo dos portadores de necessidades especiais, dependentes de substâncias psicoativas, egressos do sistema penitenciário, entre outros, garantindo-lhes o direito a trabalhar e a assegurar seu sustento. Na Itália e em outros países, as legislações nacionais garantem vantagens tributárias a estas empresas, permitem dispensas de licitação e promovem a sua capilarização, protegendo assim os seus membros da lógica competitiva do mercado liberal.

Apesar de ser uma empresa, e por isso objetivar o seu crescimento enquanto negócio, a sua missão é gerar bem-estar e segurança social para seus associados. Nesse sentido, a viabilidade econômica e social destas organizações estrutura-se no reinvestimento dos lucros em abertura de mais postos de trabalho, limitando o ganho de cada associado e impulsionando o seu fortalecimento.

O projeto “Dos Campos à Mesa”, aprovado junto à Itália, tem como objetivo construir um conceito de empresa so-cial aplicável à realidade acreana, e incubar quatro a cinco organizações desta modalidade. A Prefeitura de Rio Branco e o Iapen também são parceiros nesta empreitada. A secretária de Estado de Desenvolvimento e Segurança Social, Laura Okamura, ressaltou a importância desta parceria para a implementação da política de inclusão sócio-produtiva, que vem ganhando espaço na geração de trabalho e renda para os públicos mais vulneráveis do ponto de vista socioeconômico. (Agência de Notícias do Acre)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation