‘Longe’ da política, Marcos Afonso debate filosofia em sociedade

Nas estantes da biblioteca da casa do ex-deputado federal Marcos Afonso, um acervo de livros sobre a Filosofia da Grécia Antiga revela que ali habita um homem apaixonado pelo o que faz: incentivar as pes-soas a refletirem melhor sobre suas vidas e seu papel no mundo através dos conhecimentos transmitidos pelos antigos e atuais pensadores filosóficos.

Marcos Afonso deixou a vida de disputar eleições, mas não abandonou a política. “A política é uma coisa maravilhosa”, diz ele, claro, no sentido mais amplo do que realmente é a política. Ex-membro do Partido Comunista do Brasil, Afonso disputou a Prefeitura de Rio Branco em 1996 pelo PT. O objetivo era fazer a sucessão de seu colega Jorge Viana.

Mesmo com Jorge tendo uma gestão aprovada pela população, os petistas não conseguiram emplacar Marcos Afonso. “Perdi por 3% de diferença”, recorda ele. Dois anos depois ele disputa uma vaga na Câmara dos Deputados. Ao invés de outros políticos que se aposentam pelo Parlamento, Marcos Afonso torcia para seu mandato acabar e voltar a dedicar sua vida ao Acre.

De lá para cá, o petista tem dedicado sua vida aos livros: os de filosofia, na maioria. Desde 2008, Marcos Afonso está à frente da Sociedade Philosophia. A grafia do nome pode parecer estranha ao leitor, mas é assim mesmo que se escreve. A proposta, lógico, é discutir filosofia em so-ciedade. As reuniões são quinzenais e acontecem aos sábados no auditório da Biblioteca da Floresta.

A partir das 16h de hoje, aliás, acontece o primeiro encontro do ano. Pessoas de diferentes credos, ideais de vida ou política se reúnem para, de uma forma descontraída debater a filosofia, sempre tida como a mais entediante dentro das salas de aula. Através de diálogos, músicas, vídeos e outras formas, os participantes percebem que, como ensinamentos oriundos de uma Grécia antes de Cristo, ainda são tão atuais na contemporaneidade.

Como base para os estudos, a Sociedade Philosophia tem a obra “O Mundo de Sofia”, clássico escrito pelo norueguês Jostein Gaarder. Para Marcos Afonso, o uso deste e de outros livros é uma prova de que, nos encontros, apesar do entretenimento, a filosofia é discutida com seriedade. Outro princípio de reflexão do grupo são os quatro pilares para a educação no terceiro milênio.

Estipulados pela Unesco, e pensado pelos grandes nomes do Prêmio Nobel da Paz, as idéias se constituem por aprender a conhecer, a fazer, a conviver e a ser. Outro princípio estudado pela sociedade é o Manifesto 2000, também elaborado pela Unesco e que tem como proposta orientar a humanidade de encontrar uma forma sustentável de se viver no Planeta.        

A palavra sustentável, por sinal, é uma das que mais tem estado presente no vocabulário dos acreanos nos últimos tempos. Diz Marcos Afonso: “A sustentabilidade só é possível com ética”. Como artigo único do estatuto da Sociedade Philosophia está a promoção e preservação da vida. O filósofo garante que o grupo de estudo não tem nenhum interesse na ideologização dos participantes para qualquer pensamento político.

De acordo com ele, também é preciso entender que as palestras e oficinas ministradas não são de autoajuda tampouco motivacional. Além de debater Philosophia em sociedade, Marcos Afonso é um dos assessores diretos do governador Binho Marques, de quem é amigo pessoal de longas datas. “O Binho e minha esposa saíam de madrugada pelas ruas para pichar os muros contra o regime militar”, lembra ele.

Outro momento marcante na vida dele é sua passagem como repórter nos principais jornais do Acre na década de 1980. Ao lado de outros grandes nomes da imprensa local, fundou jornais que marcaram aquela década. Teve papel fundamental também na criação, junto com Elson Martins, Silvio Martinello e Roberto Vaz, de A GAZETA. 

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation