Garoto se estrepa em cerca e espera SAMU por mais de meia hora

O garoto Pablo Marisson Paulino Silva, 11, morador do bairro Remanso, subiu em uma árvore para tirar jambo quando vinha da escola na última segunda-feira, 8, quando o galho em que se apoiou quebrou e ele caiu sobre uma cerca se estrepando em uma estaca que entrou na altura de seu abdômen.

menino_cerca_1

Moradores que ouviram os gritos foram ao local para socorrer o garoto que estava estrepado com a cabeça para um quintal e as pernas para outro. Logo ligaram para o SAMU através do celular, que demorou muito a chegar e assim os moradores resolveram tirar o garoto das estacas para levá-lo ao pronto socorro.

Meia hora depois, quando o garoto estava deitado no chão, desacordado e se esvaindo em sangue, o SAMU chegou e realizou os primeiros socorros. Chegando ao PS por volta das 17: 54 horas, os medicos conseguiram reanimar o garoto e o leva-lo imediatamente para a sala de cirurgia, onde não resistindo ao ferimento faleceu as 18:40 horas.

Uma moradora das proximidades do local onde aconteceu o acidente, Cleide Damasceno e uma das pessoas que ajudou nos primeiros socorros, acompanharam a mãe do garoto até o hospital. Quando chegaram, disseram a reportagem do Jornal Voz do Norte, a demora do SAMU, onde foi agredida verbalmente pelo motorista da viatura que a ameaçou por ela ter prestado socorro a vitima, porque não tinham que ter mexido na vítima.

“Ligamos para o SAMU e eles demoraram demais. Chegaram depois de meia hora. O garoto estava sangrando e estrepado na cerca. Por isso, algumas pessoas que estavam no local o retiraram das estacas para levá-lo ao hospital. Só socorreram o garoto porque o SAMU demorou demais”, desabafou. (Com informações da Voz do Norte)

menino_cerca_2 menino_cerca_3

Assuntos desta notícia


Join the Conversation