Polícia Civil trabalha com a possibilidade de tiro acidental em morte de agente

A Secretaria de Estado da Polícia Civil lamentou a morte do policial civil, João Alberto Nunes da Fonseca Dias, 48 anos, ocorrida por volta das 20h de sexta-feira, 5, em uma casa da Rua Aquarela, no bairro Conquista, em Rio Branco.

O agente de polícia era um dos investigadores da 5ª Regional e não estava a serviço no dia dos fatos. Ele tinha trabalhado normalmente no dia anterior e, segundo a delegada Lúcia Jaccoud, estava tranqüilo.

A morte do policial, inicialmente tratada como um disparo acidental, causou comoção a toda Polícia Civil, que através de seus diretores se solidarizam de forma consternada com a família do combativo agente de polícia.

Os delegados Lúcia Jaccoud e Marcelo Laet estiveram acompanhando o caso desde a hora em que a ocorrência foi gerada. O corpo do policial foi velado na funerária São João Batista, na Antônio da Rocha Viana.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation