Professor nega que estuprou aluno e pede proteção

O professor Antônio José da Silva, da Escola Samuel Barreira, acusado de abusar sexualmente de um aluno de seis anos, teve a prisão preventiva decretada e é considerado foragido da Justiça.

Na manhã de ontem, 22, ele entrou em contato com uma emissora de televisão local, onde por telefone negou a prática do crime e disse ter medo de ser assassinado dentro do presídio.

O professor afirmou que está sendo vítima de uma trama e que está disposto a realizar exames médicos que comprovarão que é inocente. “Eu temo ser exposto na mídia e ser encaminhado para o presídio. Todos sabem o que acontece naquele local a quem é acusado de abusar sexualmente de uma criança. Tenho testemunhas que comprovam minha inocência. Minha vida virou um inferno, estou sendo condenado pela polícia e sociedade por um crime que não pratiquei. Sou casado, tenho filhos e jamais tocaria em uma criança. Estou sendo vítima de uma trama macabra”, afirmou o professor.

O professor disse ainda que espera que a Justiça conceda habeas corpus para que ele possa se apresentar à polícia e ser submetido a exames que comprovarão sua inocência. “Se eu quisesse fugir desta cidade já teria feito, mas tenho minha cons-ciência limpa que não cometi um crime tão bárbaro. Espero proteção do Estado com relação a minha integridade física até provar minha inocência”, declarou.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation