Petecão quer disputar vaga no Senado com Jorge e Edvaldo

O deputado federal, Sérgio Petecão (PMN-AC), está mesmo determinado a participar da disputa eleitoral por uma das vagas ao Senado. Mesmo com o anúncio do PMDB dos nomes do senador Geraldo Mesquita Jr. (PMDB-AC) e do ex-deputado João Correia, Petecão quer apresentar a sua candidatura. O parlamentar deixou claro que apenas se o indicado pelos tucanos, ex-deputado Sérgio Barros (PSDB), insistir na sua participação da chapa majoritária da coligação de partidos que orbita em torno de Tião Bocalom (PSDB) ele sairia da disputa. “Mas não acredito que o ex-deputado seja um obstáculo às minhas pretensões. Afinal o PSDB já está indicando o cabeça de chapa ao governo”, explicou.Petecao
Petecão revelou que o seu grupo político tem feito pesquisas de opinião púbica. “Entre os nomes de oposição sou o melhor posicionado”, diz ele. Apesar de ainda não querer divulgar os números, Petecão, dá a entender que só perderia, por enquanto, para a candidatura de Jorge Viana, segundo as sondagens internas. Ele também avisa que apenas outro opositor, o ex-deputado Márcio Bittar (PSDB), também tem intenções de votos consideráveis.  “Acho que a definição dos nomes da oposição deveria se basear em pesquisas. A FPA não pode ficar com as duas vagas nessas eleições. Quero enfrentar nas urnas o Jorge Viana (PT) e o Edvaldo Magalhães (PCdoB)”, diz ele.

É comum candidatos no período pré-eleitoral encomendarem pesquisas. Petecão, também espera uma sondagem que está sendo feita pelo deputado federal Gladson Cameli (PP-AC), para uma avaliação completa das tendências do eleitorado acreano nesse momento. “Daqui a 20 dias terei um raio X completo da situação. Mas não pretendo recuar das minhas pretensões”, garantiu.

O deputado acreano deixou claro que o único político de oposição para qual abriria mão da sua decisão seria para o deputado federal Flaviano Melo (PMDB-AC). “Nesse caso ele seria o meu candidato ao Senado. Mas o Flaviano já se decidiu por uma candidatura à reeleição”, afirmou. Quanto aos recursos políticos e financeiros que teria para enfrentar uma eleição majoritária, Petecão, responde sem titubear: “acredito na força do povo e não do dinheiro. Lá em Feijó eles tinham muito mais recursos, mas acabaram perdendo para o nosso candidato”, finalizou.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation