Cohab ordena o despejo de 500 pessoas em invasão

A Companhia de Habitação do Acre (Cohab) ordenou ontem de manhã a retirada imediata de mais de 100 famílias (500 pessoas) de uma ‘invasão’ recém-criada em uma Área de Proteção Ambiental do bairro Mocinha Magalhães. O despejo visa evitar que a invasão cresça ainda mais, o que o Governo aponta que prejudicaria a área verde em questão e impossibilitaria a construção de casas de programas de habitações populares.

Despejo
Os moradores – na sua maioria pessoas que não têm onde morar, desabrigados da alagação e imigrantes do interior – alegam que a Cohab simplesmente ordenou o despejo sem mostrar uma solução sensata para a questão. Por isso, eles insistem que não vão sair do local até que lhes seja oferecida uma proposta razoável para se mudar. E, caso o governo estadual cumpra a amea-ça de forçar a expulsão, eles prometeram que realizarão protestos públicos e bloqueios das principais ruas do bairro.

 “Quase todos que estão aqui não têm para aonde ir. Precisam de verdade deste espaço. Aí vem esse pessoal falando que tem de nos tirar sem dar nada. Chegaram até a dizer que ‘não se importam conosco’ e ‘do jeito que nós soubemos vir, devemos saber voltar’. Isso é um absurdo. Tudo o que queremos é um lugar para fazer a nossa casinha em paz. Não saimos sem acordo”, desabafou Railda Silva, uma das moradoras do local.

Depois da ‘visita de desapropriação’, uma equipe de habitantes seguiram para uma reunião com a Cohab (o resultado deste diálogo não foi divulgado até o fechamento desta edição). Ao todo, estima-se que a área ‘disputada’ tenha cerca de 20 hectares. Apenas algumas casas/barracas das mais de 100 famílias já foram construídas. As outras iam começar a ser feitas, mas foram interrompidas quando a Cohab chegou com a ordem de despejo (ordem que ainda não se trata de um mandado judicial de reintegração de posse).

 

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation