Pular para o conteúdo

PM encaminha à Justiça Militar inquérito que apura morte em blitz

O Inquérito Policial, instaurado pela Corregedoria da Polícia Militar do Acre (PMAC) em virtude da morte de uma estudante durante uma operação de trânsito na Capital, foi concluído e encaminhado à Vara da Auditoria Militar de Rio Branco. Os acusados são os policiais militares Francisco Moreira e Moisés da Silva Costa.

O resultado da investigação é desconhecido, mas traz um diferencial em relação ao processo que corre na Vara do Tribunal do Júri Popular. Jeremias de Souza Cavalcante sai da condição de réu e passa a condição de vítima ao lado da namorada Edna Maria Ambrósio Rego, morta durante a ocorrência.

O IP levou em conta os ferimentos sofridos por ele durante a ação policial, o que foi desprezado pelo representante do MPE que atua na Vara do Júri. Segundo testemunhas, pelo menos três tiros foram efetuados contra o casal. Um deles atingiu Edna pelas costas, transfixou o coração, e se alojou no ombro de Jeremias, ao qual ela estava abraçada.

O inquérito militar ainda está sendo analisado pelo promotor de Justiça da Auditoria Militar e caberá a ele oferecer a denúncia. Como o crime de homicídio já está sendo processado perante a Vara do Júri Popular, a expectativa é que apenas as conseqüências disciplinares e as lesões sofridas por Jeremias sejam atacados na Justiça Militar.