Promotoria realizará diligência em áreas de risco

A titular da Promotoria de Habitação e Urbanismo do Ministério Público, Rita de Cássia Nogueira Lima, instaurou Procedimento Administrativo Preliminar com o intuito de averiguar a situação de famí-lias que vivem em situação de risco na Capital. Diligências serão realizadas nos locais das ocorrências, oportunidade em que os moradores poderão prestar informações acerca da problemática.

De acordo com informações da Defesa Civil Municipal, pelo menos duas mil famílias vivem em áreas de risco em Rio Branco. Elas se concentram principalmente em bairros que surgiram às margens do Rio Acre e de igarapés, como São Francisco, Judia e Batista.

O bairro Preventório – conhecido popularmente como Papôco – já foi visitado pelo MPE. No local, a vistoria constatou várias residências com suas estruturas abaladas em virtude do processo de desmoronamento, havendo a necessidade da remoção de algumas famílias em sistema de urgência.

Outras situações, como ausência de saneamento básico, ligações clandestinas de água e energia e acúmulo de lixo, também serão observadas pela Promotoria de Habitação e Urbanismo, uma vez que configuram dano ambiental. Ao final da investigação, as autoridades responsáveis serão alertadas para a adoção de medidas, sob pena de responsabilização.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation