Tarauacá isolado há seis meses

Paralisação das obras na pista obriga  população a gastar com transporte extra

 O deputado Walter Prado (PDT) recebeu uma comissão de moradores do município de Tarauacá, na manhã de segunda-feira, 3, que procuraram o parlamentar para denunciar o caos proporcionado pela interdição da pista de pouso do município. A população vem utilizando a pista de pouso de Feijó.  Tarauacá teve a pista fechada desde o dia 19 de novembro 2009, pelo 7º Comando de Operações do Espaço Aéreo Amazônico e até o momento as obras não foram concluídas.

“Mesmo com a parceria firmada entre o Governo do Estado, com a prefeitura de Taraua-cá para a reforma da pista do aeroporto José Galera dos Santos, até o momento nada foi feito”, afirma Walter Prado, lembrando que as condições das qualidades técnicas do aeroporto. “A pista de pouso de Taraua-cá é melhor que a de Feijó, mas necessita de manutenção, para que a população, não seja penalizada com o fretamento de veículos de outros municípios”.

Walter Prado informou que, “a estrada em obras, ainda não oferece condições de acesso, fazendo-se necessário recuperar as pistas de pouso do município”. Segundo Prado, as viagens dos moradores de Taraua-cá, já sofrem acréscimo de 20%, obrigando as pessoas que  precisavam se descolar até a cidade vizinha, Feijó para pegar o vôo, até a Capital, Rio Branco.

“Precisamos de maior atenção com a população de Feijó e Tarauacá. Os moradores, dos municípios, já sofrem pelo isolamento, não podemos admitir que, mais uma vez o povo pague a conta. O cidadão está pagando por duas viagens. Uma terrestre e outra aérea, para chegar a Capital, com o acréscimo pelas viagens fretadas”, protestou Prado.

O aeroporto e a pista de pouso de Tarauacá estão fechados pelo 7º Comando de Operações do Espaço Aéreo Amazônico (Comar), por apresentar irregularidades que comprometem a segurança de passageiros em pousos e decolagens das aeronaves.

Um acordo firmado com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) determinou que a manutenção e operação dos aeroportos fossem de responsabilidade das prefeituras.

Sem ter como atender as exigências dos órgãos reguladores, os prefeitos devem recorrer ao Governo do Estado. A reforma da pista de Tarauacá tinha prazo determinado pela Anac, até 27 de maio. Walter Prado disse que a população não pode esperar mais, para transportar seus doentes, que muitas vezes não tem condições de enfrentar a viagem por terra até Cruzeiro Feijó. “A população não pode esperar. Algumas pes-soas enfermas não têm condições de pegar a estrada até o município vizinho. Precisamos de uma solução emergencial para este grave problema”, afirmou.

Produtos comercializados em Tarauacá e Feijó, também recebem acréscimo, por conta da interdição da pista de pouso. O problema tem preocupado os comerciantes, que vêem o pouco lucro indo pelo ralo, com o sobre preço, causado pelo transporte terrestre, de Cruzeiro do Sul a Tarauacá. O deputado Walter Prado informou que vai procurar os representantes das instituições envolvidas, no problema e cobrar a recuperação das pistas. Caso não seja atendido vai propor uma audiência pública, com autoridades, para que a população seja ouvida. (Assessoria)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation