Privilégio para médicos e odontólogos gera revolta na Saúde

O Sindicato dos Servidores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac) reuniu ontem um grupo de filiados para discutir uma forma de ampliar à toda categoria os privilégios concedidos a médicos e dentistas. Apenas os ocupantes dessas duas funções, tiveram as gratificações incorporadas aos salários, deixando descontentes os demais servidores de nível superior.

O benefício foi concedido durante a aprovação do Plano de Cargos Carreira e Remuneração (PCCR) da categoria, aprovada pela Assembléia Legislativa (Aleac), há cerca de dois meses, mas só agora percebido pela direção do Sin-teac, que tenta correr atrás do prejuízo.

Hoje, uma nova reunião para deliberar sobre o assunto acontece no auditório do Departamento de Ações Básicas de Saúde (Dabs), a partir das 15h. Na próxima terça-feira, 29, uma assembléia geral deve ser realizada, em local ainda a ser definido, para deliberar sobre a possibilidade ou não de uma paralisação.

Entre os profissionais que ficaram de fora do benefício estão médicos veterinários, enfermeiros, farmacêuticos, bió-logos, dentre outros. De acordo com o Sintesac, a orientação do Sistema Único de Saúde (SUS) é que as gratificações fossem incorporadas aos salários dos servidores de nível superior dez anos após a implantação do PCCR.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation