Cadáver de Edna deve ser exumado nas próximas 48h

A determinação judicial de exumação do cadáver da estudante Edna Maria Ambrósio Rêgo, 23 anos, morta a tiros durante uma blitz de trânsito na Capital no dia 25 de fevereiro deste ano, deve ser cumprida nas próximas 48h pelos médicos legistas do Instituto Médico Legal (IML). O corpo está enterrado no Cemitério Morada da Paz, na Estrada do Calafate, em Rio Branco.
Edna-ambrosio
A determinação partiu do titular da Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco, Leandro Leri Gross, em virtude de terem sido esquecidos 12 fragmentos de bala no corpo da estudante, segundo o magistrado essenciais para a definição da autoria do autor do disparo que matou a jovem. 
“Se todos os fragmentos tivessem sido retirados do corpo da vítima e não tivessem omitido o exame de residograma, certamente já teríamos elementos suficientes para o esclarecimento da arma utilizada no disparo letal”, justificou o juiz ao tomar a decisão. 

Para a mãe de Edna, a exumação é desnecessária. Ela confia no laudo emitido pelo Instituto Médico Legal (IML) e diz estar convencida de que apenas um tiro de fuzil foi responsável pela morte da sua filha. Mas existe a possibilidade de também terem sido efetuados disparos de revólver, o que alteraria significativamente o rol dos indiciados. Mas, mesmo contrária a sua vontade, a mãe promete acompanhar o procedimento.

O diretor de Polícia Técnica do Acre, Jessélio Advincola, não quis confirmar o dia e o horário da realização da exumação, mas assegura que o IML está pronto para atender a determinação do juiz. Na escrivania da Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco, também não foram disponibilizadas qualquer informação acerca do procedimento.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation