Secretário defende maior transparência no enfrentamento contra a violência

O secretário de Polícia Civil do Acre, Emylson Farias, disse ontem que a 1ª Pesquisa Nacional de Vitimização, lançada na semana passada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) vai trazer maior transparência às ações de enfrentamento à violência. Segundo ele, política nesse sentido já vem sendo desenvolvida no Estado, desde 2007, quando o governo deu início ao projeto de regionalização.
Emylson-Farias
Será a primeira vez que o Governo Federal vai ouvir a população sobre condições de vida, fatores de risco e percepções de segurança. No Acre, a pesquisa vai se restringir aos municípios de Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Feijó e Sena Madureira. Os entrevistados serão perguntados se foram ou não vítimas de algum tipo de crime e qual o impacto dessa violência em suas vidas.

De acordo com Farias, a pesquisa não se registre a dados policiais, as instituições e suas políticas públicas de segurança também serão analisadas. “É um trabalho muito genérico, mas de efeito casuístico tremendo, a partir dela será possível direcionar melhor os investimentos em Segurança Pública”, observa.

A coleta de dados deve durar em média sete meses. Nesse período serão ouvidas cerca de 70 mil pessoas. A previsão é que os primeiros resultados sejam divulgados em fevereiro de 2011. As informações deverão esclarecer porque as pessoas estão deixando de procurar as delegacias para registrar as ocorrências.

Para Farias, a subnotificação é uma realidade em todo país, mas ele acredita que existem meios eficientes de mudar essa realidade. Ele cita, por exemplo, o manual de instruções que está em fase de elaboração e que padronizará o atendimento ao público nas delegacias da Capital e do interior.

Caladinho liderança ranking da violência
A regionalização da política de Segurança Pública do Acre permitiu as autoridades do setor identificar os bairros com a maior incidência de ocorrências. Na Capital, de acordo com o secretário, o bairro Caladinho é líder absoluto em todos os tipos de crimes.

O bairro é resultante de uma invasão e fica localizado nas proximidades do Mon-tanhês, outra região tam-bém considerada muito violenta. Já em relação ao tipo de crime praticado, a lesão corporal está no topo da lista.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation