Família decide fechar casa onde morava Chico Mendes alegando falta de apoio

Quem visitar Xapuri a partir desta semana, não poderá  mais conhecer de perto a história de Chico Mendes. É que a casa onde o líder seringueiro morou e foi assassinado está fechada. Familiares afirmam que há um ano estão mantendo o espaço aberto, sem apoio do Governo, mas agora decidiram fechar por falta de recursos financeiros.
Chico-Mendes
“O Governo firmou convênio com todos os sindicatos aqui em Xapuri, mas deixou a Fundação Chico Mendes de fora. Temos cinco funcionários, uma despesa mensal de R$ 1,5 mil com energia elétrica, um carro financiado e não estamos com condições para continuar funcionando. Quem mais se beneficia com a história do Chico é o Governo, mas não nos ajuda em nada”, afirmou Ilzamar Mendes, ex-esposa de Chico Mendes.

Ilzamar Mendes reclamou que, desde quando iniciaram as obras de pavimentação da rua que passa em frente à casa de Chico Mendes, vários foram os prejuízos para a Fundação.

“Até a árvore que ficava em frente morreu. Tudo porque deixaram uma máquina parada e muito óleo foi derramado. Semana passada, o Corpo de Bombeiros derrubou a árvore, e parte dela danificou a estrutura da casa. O que mais chama atenção é que o espaço foi tombado pelos Governos Federal e Estadual”, disse.

Para Ilzamar Mendes, falta boa vontade por parte do Governo do Estado, que, para ela, “é o maior beneficiado com a história de Chico Mendes”. “Eles trazem pessoas de todo os lugares para visitarem a casa, mas não dão nenhum apoio. Temos uma dívida de R$ 4 mil com a Eletroacre, pois não pagamos dois meses de energia. O Binho fechou as portas do Governo para a história do Chico”, desabafou.

Governo diz que Fundação não prestou contas de convênio
Através da assessoria de comunicação, o Governo do Estado informou que não firmou convênio com a Fun-dação Chico Mendes porque não houve prestação de contas do convênio anterior.

De acordo com a assessoria de comunicação, o Governo não pode desobedecer a legislação e dar tratamento diferenciado para uma Fundação.
Em relação à árvore, a assessoria do Governo informou que, a pedido da Prefeitura de Xapuri, a Universidade Federal do Acre (Ufac) apresentou um relatório informando que não houve contaminação do óleo e que “foi morte natural”. (Rutemberg Crispim/Agazeta.net)

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation