Sebrae apresenta boas iniciativas de mercado e tecnologia no salão de oportunidades

A máquina pasteurizadora de leite ideal para multiplicar a renda familiar nas pequenas proprie-dades tem sido uma das representações de máquinas e equipamentos que chamam atenção no Salão de Oportunidades do Sebrae na Expoacre.

Depois de passar 26 anos como dirigente de uma escola em Pernambuco, o técnico em agropecuária e professor de inglês Antônio Emídio de Ataíde Melo decidiu criar gado e produzir queijo numa pequena propriedade localizada em Aldeia junto à grande Recife. Nesse momento percebeu que os sistemas de pasteurização do leite eram muito caros, pouco eficientes e ainda consumiam muita energia, a partir daí criou um sistema alternativo que consegue beneficiar o leite permitindo que ele seja transformado em queijo, leite pasteurizado ou bebida láctea própria fazenda.

O custo desta máquina criada e que está sendo comercializada por Antônio Emídio que é diretor da empresa Saturno de Tecnologia Rural acolhida pela Incubatec a incubadora de empresas da Universidade Federal Rural de Pernambuco custa 30% do preço a que são vendidos os sistemas tradicionais de pasteurização do leite. “Nossa missão é pro-duzir tecnologias alternativas capazes de garantir a segurança alimentar no setor rural”, destacou.

Dentre os vários segredos desvendados por Antônio Emídio para diminuir o gasto de energia e custos de produção, está o fato de que o leite se movimenta sempre por gravidade, é aquecido a 58ºC com uso de gás ou eletricidade e ao ter sua temperatura rebaixada a 40ºC em apenas três segundos elimina os principais agentes infecciosos que poderiam causar doenças. O resfriamento do leite é feito utilizando 40 l de gelo.

A máquina tem capacidade para beneficiar 200 litros de leite por hora e aumenta em até 70% a renda das famílias. Levando-se em consideração que a produção familiar de leite varia em 30 e 90 litros por dia, a máquina serve para atender pelo menos duas famílias fornecedoras de maior volume ou até sete de menor produção.

Números não mentem – Considerando os preços de Pernambuco, onde o leite cru é comercia-lizado pelos pequenos produtores de porta a porta a R$ 1,50/l, e, considerando que essa família produza 30 l de leite por dia, sua renda será, só com leite cru, de 1.350 reais por mês. No ano, a renda total será de R$ 16.200. Com a pasteurizadora, faturariam R$ 1.215 com o leite pasteurizado mais R$ 405 de queijo fresco (a R$ 9,50/Kg): sua renda total será de R$ 1.620. Assim, conseguem uma renda anual de R$ 19.380 com um acréscimo de 19% em seu ganho. Optando pelo queijo frescal com renda de R$ 1.140 e bebida láctea R$ 1.170 por mês, a renda mensal é de 2.310 e a anual R$ 27.720, ou seja, o ganho do produtor fami-liar é aumentado em até 70%. (Ascom Sebrae)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation