Geraldo Mesquita Júnior cobra normalização da oferta de energia no Acre

gmenergia
O senador Geraldo Mesquita Júnior (PMDB-AC) cobrou, em discurso nesta sexta-feira (9), urgência na adoção de medidas para regularizar o fornecimento de energia no estado do Acre, que, segundo ele, vem enfrentando dias de aflição devido às interrupções frequentes na prestação desse serviço. Ele aproveitou a presença do senador Edison Lobão (PMDB-MA), que até o começo do ano ocupou o Ministério de Minas e Energia, para lhe pedir uma mediação junto ao governo.

– Chegou-se a um ponto que a população não tolera mais: os apagões e a falta de energia são mais frequentes do que os momentos de fornecimento – afirmou.

O senador relatou que, até recentemente, o Acre contava com energia gerada por usinas termoelétricas. No entanto, ele disse que os acreanos foram “convencidos” a desligar as usinas, pois passariam a receber energia hidroelétrica, por meio de linhas de transmissão, de fontes de produção do estado de Rondônia.

O problema, segundo ele, é que a oferta tem sido irregular e insuficiente. Na sua avaliação, não havia razão para a desativação total das termoelétricas. “Eu fui um dos que defendi que isso não fosse feito de forma tão cabal e completa”, afirmou. Agora, ao menos como solução provisória, ele defende a reativação das termoelétricas.

– As turbinas estão lá no Acre e podem ser utilizadas até que uma geração e uma transmissão seguras sejam alcançadas – argumentou.

O senador disse ainda que o Acre depende de Rondônia e outros estados para se abastecer de alimentos, pois teria perdido sua capacidade de produção. Segundo ele, as quedas de energia também comprometem a conservação dos estoques desses produtos.

– Até os alimentos que trazemos de fora correm o risco de ser perder nos nossos freezers e geladeiras por falta de energia – destacou.

Sem a normalização do fornecimento, disse ainda, ocorre o comprometimento das possibilidades de desenvolvimento do próprio estado.Por isso, ele apelou a Edison Lobão para que usasse sua “boa amizade” com o governo para tratar do assunto.

Edison Lobão se comprometeu a acompanhar o colega em audiência com o atual ministro, Márcio Zimmermann. Segundo ele, a política do governo contempla a progressiva substituição das termoelétricas por fontes de geração “limpa, firme e barata”. Por isso, disse ser útil aos acreanos receber energia de Rondônia, mas concordou que, de forma emergencial, alternativas complementares devem ser adotadas.

Biodiversidade

No discurso, Geraldo Mesquita registrou ainda a realização, desde o dia 5, em Brasília, do Fórum da Biodiversidade das Américas, que compreendeu outros dois eventos: o 1º Seminário da Biodiversidade do Mercosul e a 10ª Reunião dos Jardins Botânicos Brasileiros. Resultado de proposição que apresentou ao Parlamento do Mercosul, ele disse que o evento reuniu técnicos e cientistas em “discussões de alto nível”, num reforço à ampliação do campo de interesses comuns dos países integrantes.

– Não chegaremos sequer perto do processo de integração se continuarmos voltados quase que exclusivamente para questões comerciais – comentou.  (Agência Senado)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation