Comerciante baleado por Andriola recebe alta e fala sobre o caso

O Dia dos Pais – comemorado no último domingo, 8 – teve um gosto especial para o comerciante Kender Conceição, 32. Baleado com seis tiros pelo presidiário Gleisson da Silva Andriola, 25, no dia 11 de julho, ele recebeu alta depois de quase um mês de internação. A família atribuiu a rápida recuperação a um milagre de Deus.
Comerciante-baleado
“É como estar no paraíso”, declarou. Kender tem cons-ciência que essa será a fase mais difícil da sua recuperação, quando passará a se confrontar de volta com a realidade e relembrar tudo que aconteceu naquela trágica noite de 11 de julho. Com a bíblia sempre em mãos, ele diz que a sua segurança está nas mãos de Deus.
Depois de ver o filho entre a vida e a morte, a mãe Miracele Alves dos Santos resolveu redobrar os cuidados, e já pediu ao Ministério Público Estadual (MPE) que solicite segurança especial para o comerciante enquanto ele estiver em recuperação.

Kender é casado com a professora Lisa Mota, com quem tem três filhas. Segundo Lisa, o comerciante ainda está um tanto transtornado com toda a situação vivida e precisa de muita tranqüilidade para voltar a ter uma vida normal.

As marcas da violência sofrida estão visíveis por todo o corpo do comerciante. Andrio-la efetuou seis disparos contra Kender. Todos à queima-roupa. Um dos projéteis entrou pela mandíbula e saiu na cabeça. Teve ainda perfurações no diafragma, fígado e nas duas pernas.

A família é de poucos recursos e não sabe como vai manter o tratamento de Kender fora do hospital. O secretário estadual de Saúde, Osvaldo Leal, assegurou que o Estado garantirá a assistência necessária. Segundo ele, nesse tipo de caso já é comum esse tipo de atenção especial.

Para quem não lembra do caso, na mesma noite em que feriu com seis tiros o comerciante Kender Conceição, Gleisson Andriola roubou a arma do segurança do Pronto-Socorro e matou com pelo menos 15 facadas a assessora parlamentar Ana Eunice Fontoura. A denúncia oferecida pelo MPE contra o presi-diário já foi aceita pela Justiça.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation