Censo 2010 chega à reta final e já aponta alta em 8 municípios acreanos

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) enfim chegou à reta final da fase de coletas no Censo 2010. Em todo país, 93% da população já foi recenseada (177.897. 602 brasileiros), em 92% do total de casas ocupadas (53.403.602 imóveis). Já no Acre, os resultados pré-vios indicam avanços relevantes! Com 97% das pessoas contabilizadas (667.994 acreanos) em 173.854 casas (83%), o estudo aponta que 8 municípios locais já superaram suas marcas de 2009. Isto é, tiveram incrementos populacionais em um ano.
Censo1710
Eles são: Bujari (123%: 8.358 pessoas e saldo de 1.563); Manoel Urbano (105%: 7.871 e saldo 375); Rodrigues Alves (103%: 13.838 e saldo 403); Assis Brasil (103%: 5.855 e saldo 171); Acrelândia (102%: 12.512 e saldo 245); Santa Rosa (101%: 4.421 e saldo 44); Tarauacá (101%: 34.076 e saldo 337); e Porto Walter (101%: 8.970 e saldo 89). Na Capital, o censo já contou 98% da população (301.191) e 91% dos domicílios (84.480).

Ao todo, o crescimento já representa 2.227 pessoas em território acreano. Contudo, vale destacar que tais números ainda são parciais, portanto, suscetíveis a mudanças. Apesar da ressalva, ainda sim é pouco provável que tais valores tenham reduções significativas.

De acordo com Felipe Neri, gerente de planejamento, e Marco Fábio Esteves, chefe do escritório regional do IBGE, não se pode afirmar nada conclusivo acerca dos resultados prévios. Para tanto, eles contam que é preciso, ainda, esperar pelas análises dos estudos denominados como ‘varredura’, que é um tipo de trabalho averiguação in loco.

“Na etapa de coletas é feito também um levantamento para verificar o que fez com que estes resultados tivessem acréscimo ou decréscimo quanto aos valores do ano anterior. Portanto, é checado se houve invasão de setor, incentivo de programas habitacionais na área, aumento na oferta de empregos, entre vários outros fatores”, explica Marco Fábio.

De acordo com Felipe Neri, o resultado final da coleta do Censo 2010 deve sair no dia 27 de novembro, em todo Brasil. Quando tal trabalho for encerrado, o gerente conta que ele será encaminhado ao Tribunal de Contas da União para posteriores usos como banco de dados e estatísticas demográficas (base de políticas públicas, destinação de verbas, etc).   

O censo ainda não chegou  até sua casa?
Se os recenseadores do Censo 2010 ainda não passaram pela sua residência, ou não conseguiram encontrá-lo em casa, não perca a chance de fazer parte deste estudo tão importante para o futuro do país. A retratação da realidade de uma determinada região é o ponto central do censo, assim, a ausência de habitantes pode resultar em pequenas falhas ao estudo nesta área em questão.

Portanto, ajude sua cidade e procure o prédio do IBGE mais perto do seu lar. Em Rio Branco, o instituto funciona em 4 lugares: na Rua Manoel Cesário, 450, bairro Capoeira; na sede da Funasa, na Av. Antônio da Rocha Viana; no Estádio Arena da Floresta, Via Chico Mendes; e na Sobral, no Centro de Referência ao Cidadão, ao lado do restaurante popular. O IBGE ainda disponibiliza os telefones: 0800-721-8181 e/ou 3224-4151.

Segundo Felipe Neri, no começo das coletas, em agosto, o Estado contava com a equipe de 525 recenseadores, 88 supervisores e 25 agentes municipais. Atualmente, o grupo é menor, já que a coleta está perto do fim. Eles atuam todos os dias da semana. Caso um recenseador já tenha visitado a sua casa e apareça outro membro da equipe, receba-o, pois ele está conferindo os dados informados ao estudo. Para identificá-los, basta olhar para o crachá oficial do censo, colete azul, boné do IBGE e computador na mão (PDA).

Resultados prévios em  âmbito nacional
Por enquanto, o maior destaque do Censo 2010 tem sido o Estado de Tocantins, que já superou em 3% o número de habitantes que tinha em 2009 (ou seja, 38.918 pessoas a mais). Até agora, trata-se do único estado que conseguiu alcançar e já superar a meta de 100% no estudo. Amapá (617.447), Rondônia (1.487. 044) e Paraíba (3.737.025) está em 99%. Nos demais lugares, todos, com exceção da Bahia (89%), já conseguiram passar do percentual de 90% da população recenseada.

No índice parcial de casas ocupadas, os destaques de eficiência são: Rio Grande do Sul (102%: 3.379.623), Santa Catarina (102%: 1.890.263) e Mato Grosso (100%: 711.998). Goiás (1.759.895) e Tocantins (385.231) possuem 98%. Exceto o Amazonas (68%), Pará (75%) e Amapá (77%), todos os demais estão com taxas acima de 80% nos domicílios ocupados.

Em dados gerais, o censo está apontando, por enquanto (93% de pessoas recenseadas e 60% dos 5.556 municípios já coletados), que o Brasil uma média de 3,33 moradores por domicilio. Dos 177.897.602 brasileiros computados, 41,79% concentram-se no Sudeste (74.338.608), 28,06% no Nordeste (49.913.488), 14,56% no Sul (25.904.113), 8,23% no Norte (14.645.699) e, por último, 7,36% na região Centro-Oeste (13.095.693).  

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation