Sebrae inicia Semana da Formalização do Empreendedor Individual

Se você quer garantir seus direitos fundamentais de auxílio à saúde, licença maternidade e aposentadoria, além de poder tocar seu próprio negócio sem susto, com CNPJ que permite tirar nota fiscal, participar de licitações vendendo para órgãos públicos e facilidade no acesso ao crédito, aproveite essa grande oportunidade que o Sebrae está oferecendo nesta Semana da Formalização e legalize seu negócio.
Sebrae_semana_do_empreendedor_
A partir das oito da manhã até às seis da tarde no período de 18 a 23 de outubro você pode formalizar seu negócio na tenda que está montada na praça do Mercado Velho em pleno centro de Rio Branco onde os atendentes farão isso via internet precisando apenas do seu CPF, Carteira de Identidade e CEP de onde mora, com isso a Receita Federal terá 30 dias para emitir seu CNPJ, poderá emitir nota fiscal e ter acesso a créditos mais baratos no sistema bancário. Na tenda também estão sendo realizadas palestras e orientações aos empreendedores individuais. E você não paga nada por isso.

“A missão do Sebrae é atender as micro e pequenas empresas com treinamentos, palestras e orientações para garantir o crescimento de seus negócios que geram emprego e renda fortalecendo a economia do Acre e do Brasil.

Desde o ano passado quando foi aprovada a lei que cria um tratamento diferenciado para beneficiar os Empreendedores Individuais nós estamos estimulando a formalização de costureiras, camelôs, cabeleireiras e muitas outras profissões atendidas por esta lei.

Por isso é tão importante a realização de ações como esta da Semana da Formalização para que um número cada vez maior de pessoas possam gozar destes direitos”, informou o superintendente do Sebrae do Acre, Orlando Sabino.

Uma das boas novidades é que mais 40 novas categorias profissionais também poderão gozar desses benefícios a partir do dia primeiro de dezembro. Dentre as novas profissões estão os artesãos em cimento, vendedores de artigos para bebês, carvão e lenha, guias de turismo, esteticistas, fabricantes de vela costureiras de roupa sob medida e muito mais.

Maiores informações podem ser obtidas no site www.sebrae.com.br, ou www.portaldoempreendedor.gov.br, ou gratuitamente pelo telefone 0800-570-0800.

Para se beneficiar desta lei, os empreendedores individuais da área do comércio e indústria pagam R$ 1 (um real) de ICMs por mês e 11% do Salário Mínimo (R$ 56,10) por mês ao INSS, já os do ramo da prestação de serviços pagam o INSS e mais R$ 5 (cinco reais) por mês de ISS à prefeitura.

Pode ser empreendedor individual (EI) todo aquele que tem uma renda anual de até R$ 36 mil o que da uma média de R$ 3 mil por mês, com até um empregado. Quando a renda ultrapassar esse valor eles deixam de ser EI, automaticamente, então passam para a categoria das micro e pequenas empresas.

Orlando Sabino lembra que para cada empresa formalizada no Brasil, estima-se que haja pelo menos duas informais. Assim, no Acre que tem mais de 30 mil formalizadas, existiriam aproximadamente 60 mil empreendedores individuais atuando na informalidade.

“Rio Branco e Cruzeiro do Sul que são as maiores cidades do Estado tem maior número de formalizações, mas municípios como Manuel Urbano onde 57 empreendedores se formalizaram mostram um excelente resultado quando comparado com Sena Madureira que é maior e tem apenas 25 Eis formalizados, isto indica a necessidade que temos de realizar ações como esta da Semana da Formalização para que as pessoas entendam quais são os benefícios disto para garantir mais segurança para si e sua família e venham se formalizar!” concluiu.

A diretora técnica do Sebrae do Acre, Elizabeth Monteiro destacou que mais de 2.500 empreendedores acreanos já se formalizaram desde fevereiro e a meta do Sebrae é do Sebrae para o Acre é formalizar 3 mil até dezembro.

“Nossa missão é atender as micro e pequenas empresas, quando estes empreendedores individuais se formalizam, eles passam a fazer parte do nosso público alvo, daí passam a receber treinamentos, orientações e informações que vão facilitar o acesso ao crédito para garantir a sustentabilidade desses negócios.

Isso faz do EI o maior programa de inclusão social do Brasil através do mundo dos negócios onde as pessoas crescem de forma independente contribuindo para criar mais riqueza e qualidade de vida no Acre e no Brasil!” (Ascom Sebrae)

 

 

 

  Se você quer garantir seus direitos fundamentais de auxílio à saúde, licença maternidade e aposentadoria, além de poder tocar seu próprio negócio sem susto, com CNPJ que permite tirar nota fiscal, participar de licitações vendendo para órgãos públicos e facilidade no acesso ao crédito, aproveite essa grande oportunidade que o Sebrae está oferecendo nesta Semana da Formalização e legalize seu negócio.

A partir das oito da manhã até às seis da tarde no período de 18 a 23 de outubro você pode formalizar seu negócio na tenda que está montada na praça do Mercado Velho em pleno centro de Rio Branco onde os atendentes farão isso via internet precisando apenas do seu CPF, Carteira de Identidade e CEP de onde mora, com isso a Receita Federal terá 30 dias para emitir seu CNPJ, poderá emitir nota fiscal e ter acesso a créditos mais baratos no sistema bancário. Na tenda também estão sendo realizadas palestras e orientações aos empreendedores individuais. E você não paga nada por isso.

“A missão do Sebrae é atender as micro e pequenas empresas com treinamentos, palestras e orientações para garantir o crescimento de seus negócios que geram emprego e renda fortalecendo a economia do Acre e do Brasil.

Desde o ano passado quando foi aprovada a lei que cria um tratamento diferenciado para beneficiar os Empreendedores Individuais nós estamos estimulando a formalização de costureiras, camelôs, cabeleireiras e muitas outras profissões atendidas por esta lei.

Por isso é tão importante a realização de ações como esta da Semana da Formalização para que um número cada vez maior de pessoas possam gozar destes direitos”, informou o superintendente do Sebrae do Acre, Orlando Sabino.

Uma das boas novidades é que mais 40 novas categorias profissionais também poderão gozar desses benefícios a partir do dia primeiro de dezembro. Dentre as novas profissões estão os artesãos em cimento, vendedores de artigos para bebês, carvão e lenha, guias de turismo, esteticistas, fabricantes de vela costureiras de roupa sob medida e muito mais.

Maiores informações podem ser obtidas no site www.sebrae.com.br, ou www.portaldoempreendedor.gov.br, ou gratuitamente pelo telefone 0800-570-0800.

Para se beneficiar desta lei, os empreendedores individuais da área do comércio e indústria pagam R$ 1 (um real) de ICMs por mês e 11% do Salário Mínimo (R$ 56,10) por mês ao INSS, já os do ramo da prestação de serviços pagam o INSS e mais R$ 5 (cinco reais) por mês de ISS à prefeitura.

Pode ser empreendedor individual (EI) todo aquele que tem uma renda anual de até R$ 36 mil o que da uma média de R$ 3 mil por mês, com até um empregado. Quando a renda ultrapassar esse valor eles deixam de ser EI, automaticamente, então passam para a categoria das micro e pequenas empresas.

Orlando Sabino lembra que para cada empresa formalizada no Brasil, estima-se que haja pelo menos duas informais. Assim, no Acre que tem mais de 30 mil formalizadas, existiriam aproximadamente 60 mil empreendedores individuais atuando na informalidade.

“Rio Branco e Cruzeiro do Sul que são as maiores cidades do Estado tem maior número de formalizações, mas municípios como Manuel Urbano onde 57 empreendedores se formalizaram mostram um excelente resultado quando comparado com Sena Madureira que é maior e tem apenas 25 Eis formalizados, isto indica a necessidade que temos de realizar ações como esta da Semana da Formalização para que as pessoas entendam quais são os benefícios disto para garantir mais segurança para si e sua família e venham se formalizar!” concluiu.

A diretora técnica do Sebrae do Acre, Elizabeth Monteiro destacou que mais de 2.500 empreendedores acreanos já se formalizaram desde fevereiro e a meta do Sebrae é do Sebrae para o Acre é formalizar 3 mil até dezembro.

“Nossa missão é atender as micro e pequenas empresas, quando estes empreendedores individuais se formalizam, eles passam a fazer parte do nosso público alvo, daí passam a receber treinamentos, orientações e informações que vão facilitar o acesso ao crédito para garantir a sustentabilidade desses negócios.

Isso faz do EI o maior programa de inclusão social do Brasil através do mundo dos negócios onde as pessoas crescem de forma independente contribuindo para criar mais riqueza e qualidade de vida no Acre e no Brasil!” (Ascom Sebrae)

Sebrae_semana_do_empreendedor_2
 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation