Produção mineral acreana poderá crescer com a instalação do DNPM

A iniciativa do deputado federal Taumaturgo Lima (PT/AC) de fomentar a instalação de uma residência do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) no Acre recebeu o apoio do governador Tião Viana (PT). Durante reunião com o representante do DNPM, Paulo Brandão, o governador se comprometeu em conseguir um espaço físico para o funcionamento da entidade no Acre. Por outro lado, deverão vir para o Estado seis técnicos para agilizar os trabalhos de concessão mineral. Só o Acre não tem ainda representação do DNPM.
DNPM
Taumaturgo comemorou a receptividade positiva da proposta e ressaltou a importância do DNPM para as atividades empresariais no Estado. “Já era um desejo do Tião Viana desde a época do Senado trazer o órgão para o Acre. Os empresários que trabalham com areia, argila e água mineral quando precisam de licença tinham que ir para Rondônia. A DNPM poderá estimular a pesquisa do nosso solo para aumentar a nossa produção mineral atraindo novos investimentos. Num momento de industrialização no Estado é muito importante a instalação dessa residência do DNPM”, revelou.

O governador justificou o apoio do Governo para a instalação do órgão. “Temos muitos empresários que utilizam recursos minerais como a areia, a argila, a água mineral além de outras fontes de matéria-prima desde a piçarra até minerais não muito conhecidos. E quando se tenta conseguir uma simples licença para explorar a água mineral se passa dois anos. Com DNPM se instalando aqui vai facilitar muito a vida dos empresários”, ressaltou Tião.

Estímulo à pesquisa
Tião Viana vê na agilização das licenças um benefício para o programa Ruas do Povo. “Temos uma previsão de trabalhar com 300 milhões de tijolos na produção das Ruas do Povo que tem como base a argila. O DNPM beneficiará e estimulará a pesquisa para o estudo de detalhamento mineral para uma análise da qualidade dos produtos permitindo uma melhor durabilidade e qualidade térmica para ser valorizada pela atividade econômica”, avalizou.

Mas o governador acredita na descoberta de outros minerais para exploração comercial. “Temos que ter a tranqüilidade de saber que já existem pessoas que apontam para reservas de calcário e de outras reservas de minerais nobres no Estado. Precisamos trabalhar isso de maneira responsável do ponto de vista ambiental. O DNPM está voltado para dar suporte para o desenvolvimento do potencial geológico da região favorecendo a atividade no Estado”, declarou.

O representante do DNPM, Paulo Brandão, também acredita num aumento da atividade mineral acreana. “Vejo um pacote sedimentar desde Rio Branco a Cruzeiro do Sul com vários tipos de argilas que precisam ser identificadas. Isso poderá permitir a criação de um pólo cerâmico na região. Deveria haver um estudo com apoio do Governo do Estado para analisar a existência de argilas especiais com elementos de bauxita. Vejo também que existe possibilidade para calcário e neobio. Até mesmo no trecho entre Rondônia e o Acre poderia ser pesquisado também a cassiterita”, disse ele.

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation